terça-feira, 30 de novembro de 2010

Rodoviários ameaçam parar toda a frota na Grande Vitória

Por: Eliseu


foto: Carla Einsfeld
Rodoviários realizam assembleia na Praça Getúlio Vargas
Em assembleia na Praça Getúlio Vargas, rodoviários decidiram manter a greve


Os motoristas e cobradores da Grande Vitória, em greve há uma semana, decidiram paralisar todo o sistema de transporte coletivo da Grande Vitória a partir da zero hora desta quarta-feira (01). 
Os rodoviários não ficaram satisfeitos com o resultado do dissídio coletivo julgado na tarde desta terça-feira (30). Motoristas e cobradores conseguiram aumento salarial de 10% e de 5,39% no valor do tíquete alimentação por determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES). 
A questão salarial é apenas um dos ítens do dissídio coletivo que começou a ser julgado às 14h e terminou por volta das 19h desta terça-feira (30). 
A Justiça decidiu que a categoria deve voltar ao trabalho sob pena de multa diária de R$ 30 mil. Os trabalhadores se reuniram em assembléia no Centro de Vitória, logo após o resultado do dissídio coletivo. A maioria dos rodoviários decidiu continuar com a greve.
O presidente do Sindirodoviários, Édson Bastos, salientou que essa é uma decisão tomada pelos motoristas e trocadores que operam o sistema de transporte coletivo na Grande Vitória. Bastos disse ainda que o sindicato se diz contrário à manutenção da greve. "O sindicato não concorda com essa decisão tomada ainda com o sangue quente. Ainda vamos tentar convencê-los a partir desta quarta a rever essa posição", disse.
Às 19h40, logo após o fim da assembleia, motoristas e cobradores saíram em passeata pelo Centro de Vitória. Duas pistas da Avenida Princesa Isabel, sentido Centro - Zona Norte, chegaram a ser fechadas, mas foram liberadas cerca de 10 minutos após a caminhada, tempo suficiente para tumultuar o trânsito em uma das vias mais movimentadas da Capital capixaba.
Fonte: Gazeta Online

A Lista - Oswaldo Montenegro



Para reflexão!

Peça de cafeteira é confundida com bomba em shopping de Guarapari

Por: Eliseu
O pedaço de uma cafeteira elétrica achado perto da central de gás do Shopping Guarapari, localizado na principal rua do município, levou um funcionário do centro de compras a confundir a peça do eletrodoméstico com o dispositivo de uma bomba.

O confuso funcionário acionou a Polícia Militar. Uma equipe do esquadrão anti-bombas da corporação foi enviada ao local na tarde desta terça-feira (30). Lá, os policiais desfizeram o mal entendido.

O que seria o disposivido de uma bomba, na verdade se tratava de sucata. A peça teria sido descartada por um morador de rua conhecido na cidade como "Tiririca". Com informações de Katilaine Chagas.



Fonte: Gazeta Online


Petrobras abriga mosquito da dengue!

Por: Eliseu

Foto: Délio Prates
Caixa d’água destampada em obra da Petrobras na Reta da Penha, em Vitória. Por meio de nota, a Petrobras informou que já solicitou ao consórcio responsável pelas obras a adoção de providências necessárias para corrigir a situação apontada.
Fonte: Folha Vitroria

Charge do dia

Notícias - Gazeta Online - Tráfico perde mais de R$ 100 milhões com operação no Alemão, diz PM

Notícias - Gazeta Online - Tráfico perde mais de R$ 100 milhões com operação no Alemão, diz PM

Por: Eliseu

Polícia recuperou 320 motos em operação contra tráfico no Rio

Por: Eliseu
O titular da delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis do Rio, divulgou na manhã desta terça-feira (30), que já foram recuperados nas operações no Alemão e na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, 350 veículos -sendo 320 motos.
Os veículos estão sendo encaminhados para o Pátio Legal da Polícia onde serão periciados. Segundo o delegado, depois de periciados e catalogados, os donos serão comunicados e haverá um agendamento para a entrega.
Ainda segundo o delegado, é possível checar pela internet, através da placa do veículo, se está entre os recuperados ou não. O proprietário do veículo não vai pagar nada pela retirada do depósito.





Brasil anuncia plano de cooperação com a Bolívia para combater o tráfico de drogas

Por: Eliseu


O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, anunciou nesta tarde um plano de cooperação entre Brasil e Bolívia para combater o tráfico de drogas e armas. No projeto, estão previstas operações conjuntas e um plano de segurança das fronteiras.

— Acho que chegou a hora da América do Sul ter um plano integrado, que permita a região combater um problema que vitimiza todos os países e encontrar uma solução conjunta. Todos os técnicos apontam que é impossível o patrulhamento físico dessa fronteira. A melhor maneira de combater isso é com integração e um sistema lógico de cooperação — afirmou o ministro.

Após reunião com o ministro de Governo da Bolívia, Sacha Llorenty, Barreto também anunciou a retomada das reuniões da Comissão Mista de Enfrentamento ao Narcotráfico. Segundo Barreto, o Brasil, a Bolívia e o Peru vão fazer operações conjuntas.

Durante a reunião, o governo da Bolívia mostrou interesse em conhecer o veículo aéreo não tripulado (Vant) e os laboratórios de lavagem de dinheiro.

— Em dezembro vamos começar uma série de reuniões. A Bolívia deseja implementar o laboratório de lavagem de dinheiro. Uma equipe técnica do Brasil vai a La Paz em dezembro para apresentar o projeto do laboratório e representantes bolivianos vêm conhecer o Vant no Brasil — disse o ministro boliviano.

Para Llorenty, o momento é propício para fortalecer os laços entre os países na área de segurança pública.

— Estamos fazendo trabalho com outros países para melhorar essas capacidades cooperativas. Nosso objetivo é fortalecer a Unasul [União de Nações Sul-Americanas] e combater conjuntamente o narcotráfico.
AGÊNCIA BRASILFonte: Diario catarinense

Aécio, Anastasia e o desvio de R$ 4,3 bi

Do  Blog do Miro

Reproduzo artigo de Fabricio Menezes, publicado no sítio da Associação dos Jornalistas do Serviço Público (Ajosp) em setembro último:

Sob a grave acusação de desvio de R$ 4,3 bilhões do orçamento do Estado de Minas Gerais e que deveriam ser aplicados na saúde pública, a administração Aécio Neves/Antônio Anastasia (PSDB) – respectivamente ex e atual governador mineiro – terá que explicar à Justiça Estadual qual o destino da bilionária quantia que supostamente teria sido investida em saneamento básico pela Copasa entre 2003 a 2009.

Devido à grandeza do rombo e às investigações realizadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) desde 2007, por meio das Promotorias Especializadas de Defesa da Saúde e do Patrimônio Público, o escândalo saiu do silêncio imposto à mídia mineira e recentemente foi divulgado até por um jornal de âmbito nacional.

Se prevalecer na Justiça o conjunto de irregularidades constatadas pelo MPE na Ação Civil Pública que tramita na 5ª Vara da Fazenda Pública Estadual sob o número 0904382-53.2010 e a denúncia na ação individual contra os responsáveis pelo rombo contra a saúde pública, tanto o ex-governador Aécio Neves, quanto o candidato tucano Antônio Anastasia, o presidente da Copasa, Ricardo Simões, e a contadora geral do Estado poderão ser condenados por improbidade administrativa.

Dos R$ 4,3 bilhões desviados, R$ 3,3 bilhões constam da ação do MPE, que são recursos supostamente transferidos pelo governo estadual (maior acionista da Copasa) para investimento em saneamento básico, na rubrica saúde, conforme determina a lei, entre 2003 e 2008. Como a Justiça negou a liminar solicitada pela promotoria no ano passado, para que fossem interrompidas as supostas transferências, a sangria no orçamento do Estado não foi estancada.

De acordo com demonstrativos oficiais da Secretaria de Estado da Fazenda, somente em 2009 a Copasa recebeu mais de R$ 1,017 bilhões do governo Aécio/Anastasia para serem aplicados em ações e serviços públicos de saúde para cumprimento da Emenda Constitucional nº 29/2000, à qual os estados e municípios estão submetidos, devendo cumpri-la em suas mínimas determinações, como, por exemplo, a aplicação de 12% do orçamento em saúde pública (a partir de 2004), considerada a sua gratuidade e universalidade. Em 2003 a determinação era que se aplicasse o mínimo de10% da arrecadação.

Da mesma forma que não se sabe o destino dos R$ 3,3 bilhões questionados pelo MPE, também não se sabe onde foi parar esses R$ 1,017 supostamente transferidos para a Copasa em 2009.

O cerco do MPE às prestações de contas do governo estadual iniciou-se em 2007, quando os promotores Josely Ramos Ponte, Eduardo Nepomuceno de Sousa e João Medeiros Silva Neto ficaram alertas com os questionamentos e recomendações apresentadas nos relatórios técnicos da Comissão de Acompanhamento da Execução Orçamentária (CAEO), órgão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), desde a primeira prestação de contas do governo Aécio. Chamou-lhes a atenção, também, o crescimento, ano a ano, a partir de 2003, das transferências de recursos à Copasa para aplicação em saneamento e esgotamento sanitário.

Os promotores Josely Ramos, Eduardo Nepomuceno e João Medeiros querem que a administração do governo de Minas e da Copasa, conduzida na gestão Aécio Neves/Anastasia, devolva ao Fundo Estadual de Saúde os R$ 3,3 bilhões que é objeto da Ação Civil Pública que tramita na 5ª Vara da Fazenda Pública Estadual e que segundo eles podem ter sido desviados da saúde pública.

No pedido de liminar na ação, os promotores já antecipavam e solicitavam à Justiça que “seja julgado procedente o pedido, com lastro preferencial na metodologia dos cálculos apresentados pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, para condenar os réus, solidariamente ou não, à devolução de todos os valores transferidos à COPASA do orçamento vinculado às ações e serviços de saúde que não foram utilizados em saneamento básico entre os anos de 2003 e 2008, totalizando R$ 3.387.063.363,00 (três bilhões, trezentos e oitenta e sete milhões, sessenta e três mil e trezentos e sessenta e três reais), a serem depositados no Fundo Estadual de Saúde.”

Como o MPE encurralou o governo e Copasa

Para encurralar o governo do Estado e a Copasa, o MPE se valeu de sua autonomia investigativa e requereu às duas instituições as provas que pudessem revelar como foram aplicados os recursos públicos constantes das prestações de contas do Executivo e nos demonstrativos financeiros da empresa.

O que os promotores constataram foi outra coisa ao analisarem os pareceres das auditorias externas realizadas durante esse período: “Além disto, as empresas que realizaram auditoria externa na COPASA, durante o período de 2002 a 2008, não detectaram nos demonstrativos financeiros da empresa os recursos públicos que deveriam ser destinados a ações e serviços da saúde.”

As discrepâncias contidas nas prestações de contas do Estado levaram os promotores a consultar a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), à qual a Copasa deve apresentar seus demonstrativos financeiros e balanços anuais.

Em sua resposta à consulta, a CVM respondeu ao Ministério Público Ofício que “após análise de toda a documentação, não foram encontrados evidências da transferência de recursos da saúde pública para investimentos da COPASA, nos termos da Lei Orçamentária do Estado de Minas Gerais e na respectiva prestação de contas do Estado de Minas Gerais, conforme mencionado na consulta realizada por esta Promotoria de Justiça”.

Na página 26 das 30 que compõem a ação, os promotores afirmam o seguinte sobre a ausência das autoridades convocadas para prestar esclarecimentos sobre o assunto:

“Ressalte-se que a COPASA recusou-se a prestar informações ao Ministério Público sobre os fatos aqui explicitados. Notificado a comparecer na Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, seu Presidente apresentou justificativa na data marcada e não compareceu.A Contadora Geral do Estado também notificada a prestar esclarecimentos, na condição de técnica que assina a Prestação de Contas, também apresentou justificativa pífia e não compareceu na data marcada. Finalmente, a Auditora Geral do Estado, que também assina as Prestações de Contas do Estado, que poderia e até deveria colaborar com a investigação, arvorou-se da condição de servidora com status de Secretário de Estado, por força de dispositivo não aplicável à espécie, contido em lei delegada estadual (sic) e não apresentou qualquer esclarecimento ao Ministério Público.”

Dois governadores foram presos este ano no país

No início do mês o Brasil foi surpreendido com prisão do governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), candidato à reeleição, e de seu antecessor – de quem Dias era vice até abril – Waldez Góes (PDT), candidato ao Senado. Detidos em decorrência da Operação Mãos Limpas, desencadeada pela Polícia Federal, Dias e Góes foram presos em 10 de setembro juntamente com outras 16 autoridades, todos acusados de corrupção e desvio de recursos públicos. As informações preliminares apontam para um montante de R$ 300 milhões, desviados das áreas de educação, saúde, assistência social, entre outras.

Esta, porém, não foi a primeira vez que um governador é preso no país, após a redemocratização, em 1985. No início do ano, em fevereiro de 2010, o caso que ficou conhecido como “mensalão do DEM”, uma operação orquestrada no governo do Distrito Federal há 10 anos, culminou na prisão do então ocupante do cargo, José Roberto Arruda (DEM). Seu vice, Paulo Otávio, renunciou ao cargo, e a Câmara Distrital escolheu um dos deputados para concluir o mandato.

Fonte: Portal Minaslivre.com.br 

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Mais uma tragédia das drogas

Por: Eliseu

Uma mãe que chegou ao extremo de acorrentar o filho para evitar o uso de crack, retirou as correntes do jovem nesta segunda-feira (29). Mas a família ainda vive o drama das agressões físicas dentro de casa, na periferia de Alegre, no Sul do Espírito Santo. A busca é por uma internação e tratamento do rapaz de 20 anos, que está consumindo a droga há mais de um ano e chegou a fumar 30 pedras de crack por dia.

"Eu tive que tirar as correntes porque ele falou que estava machucando muito, mas é difícil porque temos que ficar vigiando. Durante a noite, um dorme e o outro fica acordado, meu filho mais novo sofre para controlar o irmão", desabafa a mãe, Tereza Feliz.



Para tentar manter o filho calmo, a mãe foi mais uma vez a Secretaria de Saúde e buscou remédios tranquilizantes. "Os remédios são o único jeito para manter meu filho em casa. Ele fica o tempo todo dopado, mas hoje mesmo correu com uma faca para me matar", lamenta a mãe.


O promotor do Ministério Público de Alegre, Alexandre de Castro, vai entrar com uma ação na Justiça para garantir a vaga do jovem em uma clínica para reabilitação. Ele acredita que o resultado da ação deve sair em poucos dias. "Estamos confiantes que vamos conseguir a internação, principalmente porque o jovem quer se internar. Se não tiver vaga em Cachoeiro, vamos tentar em outras clínicas da região. Acreditando na solidariedade de todos", assegura o promotor.
Com informações do Gazeta Online.

Charge do dia

Porque a entrevista de Lula aos blogueiros deixou os donos da mídia e seus jagunços tão nervosos

Do Blog TUDO EM CIMA
Jornalões e televisões ficaram nervosos ao perceberem que eles não são mais o único canal existente de contato entre os governantes e a sociedade. Às conquistas do governo Lula soma-se mais essa, importante e pouco percebida. E é ela que permite entender melhor o apoio inédito dado ao atual governo e, também, a vitória da candidata Dilma Roussef.

- por Laurindo Lalo Leal Filho, em Carta Maior
O blogueiro Renato Rovai contou durante o curso anual do Núcleo Piratininga de Comunicação, realizado semana passada no Rio, que a Veja andou atrás dele querendo saber como foi feita a articulação para que o presidente Lula concedesse uma entrevista a blogs de diferentes pontos do Brasil. Estão preocupadíssimos.
À essa informação somam-se as matérias dos jornalões e de algumas emissoras de TV sobre a coletiva, sempre distorcidas, tentando ridicularizar entrevistado e entrevistadores.
O SBT chegou a realizar uma edição cuidadosa daquele encontro destacando as questões menos relevantes da conversa para culminar com um encerramento digno de se tornar exemplo de mau jornalismo.
Ao ressaltar o problema da inexistência de leis no Brasil que garantam o direito de resposta, tratado na entrevista, o jornal do SBT fechou a matéria dizendo que qualquer um que se sinta prejudicado pela mídia tem amplos caminhos legais para contestação (em outras palavras). Com o que nem o ministro Ayres Brito, do Supremo, ídolo da grande mídia, concorda.
Jornalões e televisões ficaram nervosos ao perceberem que eles não são mais o único canal existente de contato entre os governantes e a sociedade.
Às conquistas do governo Lula soma-se mais essa, importante e pouco percebida. E é ela que permite entender melhor o apoio inédito dado ao atual governo e, também, a vitória da candidata Dilma Roussef.
Lula, como presidente da República, teve a percepção nítida de que se fosse contar apenas com a mídia tradicional para se dirigir à sociedade estaria perdido. A experiência de muitos anos de contato com esses meios, como líder sindical e depois político, deu a ele a possibilidade de entendê-los com muita clareza.
Essa percepção é que explica o contato pessoal, quase diário, do presidente com públicos das mais diferentes camadas sociais, dispensando intermediários.
Colunistas o criticavam dizendo que ele deveria viajar menos e dar mais expediente no palácio. Mas ele sabia muito bem o que estava fazendo. Se não fizesse dessa forma corria o risco de não chegar ao fim do mandato.
Mas uma coisa era o presidente ter consciência de sua alta capacidade de comunicador e outra, quase heróica, era não ter preguiça de colocá-la em prática a toda hora em qualquer canto do pais e mesmo do mundo.
Confesso que me preocupei com sua saúde em alguns momentos do mandato. Especialmente naquela semana em que ele saía do sul do país, participava de evento no Recife e de lá rumava para a Suíça. Não me surpreendi quando a pressão arterial subiu, afinal não era para menos. Mas foi essa disposição para o trabalho que virou o jogo.
Um trabalho que poderia ter sido mais ameno se houvesse uma mídia menos partidarizada e mais diversificada. Sem ela o presidente foi para o sacrifício.
Pesquisadores nas áreas de história e comunicação já tem um excelente campo de estudos daqui para frente. Comparar, por exemplo, a cobertura jornalística do governo Lula com suas realizações. O descompasso será enorme.
As inúmeras conquistas alcançadas ficariam escondidas se o presidente não fosse às ruas, às praças, às conferências setoriais de nível nacional, aos congressos e reuniões de trabalhadores para contar de viva voz e cara-a-cara o que o seu governo vinha fazendo. A NBR, televisão do governo federal, tem tudo gravado. É um excelente acervo para futuras pesquisas.
Curioso lembrar as várias teses publicadas sobre a sociedade mediatizada, onde se tenta demonstrar como os meios de comunicação estabelecem os limites do espaço público e fazem a intermediação entre governos e sociedade.
Pois não é que o governo Lula rompeu até mesmo com essas teorias. Passou por cima dos meios, transmitiu diretamente suas mensagens e deixou nervosos os empresários da comunicação e os seus fiéis funcionários, abalados com a perda do monopólio da transmissão de mensagens.
Está dada, ao final deste governo, mais uma lição. Governos populares não podem ficar sujeitos ao filtro ideológico da mídia para se relacionarem com a sociedade.
Mas também não pode depender apenas de comunicadores excepcionais como é caso do presidente Lula. Se outros surgirem ótimo. Mas uma sociedade democrática não pode ficar contando com o acaso.
Daí a importância dos blogueiros, dos jornais regionais, das emissoras comunitárias e de uma futura legislação da mídia que garanta espaços para vozes divergentes do pensamento único atual.
Laurindo Lalo Leal Filho, sociólogo e jornalista, é professor de Jornalismo da ECA-USP. É autor, entre outros, de “A TV sob controle – A resposta da sociedade ao poder da televisão” (Summus Editorial).

A crise na segurança pública do Brasil

A crise na segurança pública do Brasil, reflete a falta de ações de combate a corrupção enfraquece o Estado, em especial o desperdício e desvio de dinheiro público na esfera municipal, estadual e federal. A fragilidade do Estado consiste na impunidade da macro criminalidade organizada e a não recuperação dos recursos desviados ou suspeitos de origem ilícitas a ex.: do D. Dantas 3 bilhões de dólares bloqueados. Protógenes Queiroz.
Do Terra Brasilis

Vitória arrasadora do Rio no Alemão cria constrangimento


O ordinário blogueiro entrevista Fuzileiros Navais

A retomada do território do Alemão pelas forças da Lei durou das 8h da manhã às 9h30 da manhã deste domingo.

Foram cerca de 1200 homens e carros anfíbios, blindados, e helicópteros numa ação coordenada pelo exemplar policial federal José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança do Rio.

Os traficantes tinham fugido da Vila Cruzeiro para o Alemão.

As 44 saídas do Alemão foram fechadas.

Os traficantes ficaram presos lá dentro.

E as forças do delegado Beltrame, aos poucos, identificarão os criminosos e as áreas em que armazenavam drogas e armamento.

Este ordinário blogueiro entrevistou Beltrame para o Domingo Espetacular, e ele informou que tropas federais manterão a ocupação do Alemão e da Vila Cruzeiro até que novos policiais militares sejam formados e possam instalar as UPPs.

Nunca dantes na história deste país houve uma ação tão extensa, maciça e fulminantemente eficaz quanto esta no Rio de Janeiro.

A vitória de Sérgio Cabral e Beltrame cria inevitáveis constrangimentos.

Mostra, de forma escancarada, que nenhum governante pode mais fechar os olhos, sentar em cima das mãos, conciliar, ou fazer acordo secreto com o crime organizado.

O Rio de Janeiro era e é uma área de forte consumo e tráfico de droga.

Mas não é a única.

E um dia e, um dia, a casa cai.

O crime organizado vai para a rua, queima ônibus, atira em postos da polícia, tranca ruas e cospe na cara do governante.

Sérgio Cabral e Beltrame demonstraram que é possível enfrentar o crime organizado.

Só não enfrenta quem fez acordo com ele ou dele tem medo.


Paulo Henrique Amorim
Do Blog Conversa Afiada

Mansão no Complexo do Alemão

Por: Eliseu
28 de novembro - Policiais localizaram mansão de um chefão do tráfico, que tem piscina e banheira de hidromassagem

. Foto: Reinaldo Marques/Terra
Policiais localizam mansão do chefe do tráfico


Miséria e luxo no Alemão

A miséria presente nas ruas e becos das favelas do Complexo do Alemão destoam da vida de luxo que era levada pelos principais chefes do tráfico na região. Enquanto a maioria dos trabalhadores que vive nas comunidades se aperta com suas famílias para viver em pequenas casas, os criminosos desfrutavam de luxo e riqueza.
No domingo, durante a operação que expulsou os traficantes do Complexo do Alemão, os policiais localizaram a casa do chefe do tráfico local, Fabiano Atanásio da Silva, o FB. Situada no alto da Favela da Grota, depois de uma escada com as cores do Brasil, o imóvel de três andares tem aparelhos de ar-condicionado em todos os cômodos, televisão de LCD de 42 polegadas, geladeira e fogão inox.
Nos dois quartos que ficam em um desse andar eram decorados com grafites nas paredes - um retratava um carro vermelho pintado, o outro era uma fotografia do cantor americano Justin Bieber, sucesso entre os adolescentes.
No segundo andar, uma banheira de hidromassagem com espaço para duas pessoas chamou a atenção dos policiais. Uma televisão de LCD de 42 polegadas foi perfurada por um tiro. A pintura de uma rosa decorava o banheiro. Todo o piso do imóvel é de porcelanato, e o teto, na maioria dos cômodos, de gesso rebaixado. De acordo com a polícia, antes de deixar o local, o traficante quebrou parte do teto e das paredes onde, provavelmente, havia escondido drogas, armas e dinheiro.
Era no terceiro andar da casa que, segundo a polícia, FB gostava de "relaxar". Além de uma churrasqueira de alvenaria, uma ducha e uma piscina de fibra cercada por um deque de madeira completam o cenário de onde se tem uma visão privilegiada da comunidade, com direito a uma pequena vista para o mar, que eram de uso exclusivo de FB e alguns poucos convidados.A piscina imita o calçadão de Copacabana.




domingo, 28 de novembro de 2010

Notícias - Gazeta Online - Após ocupação, garota manda carta de agradecimento a policial da Core

Notícias - Gazeta Online - Após ocupação, garota manda carta de agradecimento a policial da Core

A espantosa inteligência do blogueiro-michê da revista Veja

Do blog Contexto Livre

Desde os tempos em que atuava como informante dos torturadores, infiltrado no movimento estudantil, no período mais sombrio da ditadura, o auto-denominado “jornalista” Augusto Nunes – que se orgulha da fotografia em que aparece ao lado do general Figueiredo – já demonstrava seu caráter de escova-botasdos patrões. Pois, o tempo, senhor da razão, confirmou o vaticínio. Após exercer a função de proxenetados milicos, Nunes fez súbita carreira na imprensa corporativa. Valendo-se de seu excepcional talento para a adulação e de seu topete pega-rapaz, galgou postos e, dizem, perseguiu vários colegas de trabalho.
Uma das passagens bizarras de sua biografia foi sua demissão das Organizações Globo. Roberto Marinho em pessoa o mandou para o olho da rua por causa de um necrológio de Jorge Amado publicado na revista Época, quando o escritor baiano estava ainda bem vivo.
O semovente do meretrício fascista acabou encontrando refúgio no Jornal do Brasil, já sob o comando do empresário picareta Nelson Tanure. Isso talvez explique a derrocada agonizante do tradicional diário carioca, que teve morte cerebral decretada há poucos meses. Augustinho também foi diretor de redação do tabloide Zero Hora, de Porto Alegre. Ali, no entanto, seu reinado foi fugaz: nem mesmo os Sirotsky aguentaram tanta velhacaria.
Restou ao pobre diabo retornar, resignado – e com o rabo entre as pernas – à velha revista Veja, de quem, originalmente, é cria. É ali que, hoje, Augusto Nunes homizia-se, assinando um blog de coprologia jornalística e quejandos.
No último dia 25, ao fazer sua “leitura crítica” da entrevista coletiva que o Presidente Lula concedera a um grupo de blogueiros, Augusto Nunes exibiu tudo o que a vida lhe ensinou, em um texto que, pela sua grandiosidade epistemológica, entrará para os anais da crônica política brasileira. Com invejável garbo e rara agudeza de espírito, assim o titã da imprensa descreveu um dos participantes da histórica entrevista:
“A imagem ampliada pelo close exibe alguém que acabou de chegar dos anos 60 e só teve tempo para deixar a mala no quarto-e-sala do amigo. Os pelos da barba aparada na véspera tentam compensar o sumiço dos fios de cabelo no topo. Enquanto trava uma briga de foice no escuro com os tons sombrios da gravata estampada, o terno preto emprestado de algum parente mais gordo e mais alto engole as mangas e a gola da camisa social branca.”
Melhor usar parênteses (o “terno preto”, na verdade, era azul-marinho; o terno azul-marinho era próprio de seu usuário; o usuário do terno azul-marinho não possuiu qualquer “parente mais gordo”; e a “camisa social branca”, na verdade, era azul-claro). Ou seja: ao provável daltonismo do festejado “jornalista”, juntaram-se o ressentimento, o preconceito e, naturalmente, a imbecilidade.
Para provar que é um sujeito muito inteligente, pediu um dicionário emprestado ao seu vizinho Reinaldo e deu-se ao trabalho de copiar os verbetes cloacais do Pai dos Burros – certamente, nenhum de seus leitores entenderia que o “codinome” do entrevistador era um tropo metonímico, tampouco que o nome do blog é uma ironia.
Clique aqui para ver que, enquanto houver profissionais de imprensa do jaez de Augusto Nunes, o suprimento de matéria-prima deste Cloaca News - ou do Sr. Cloaca, como queira - estará garantido.

Notícias - Gazeta Online - Golpe virtual promete transmissão do Bope de operações no Rio

Notícias - Gazeta Online - Golpe virtual promete transmissão do Bope de operações no Rio

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

'Se formos atacados, não há como não responder', diz Exército

Por: Eliseu
Em reunião na tarde desta sexta-feira (26) com os responsáveis pelas forças de segurança, o comandante do Comando Militar do Exército, general Adriano Pereira Júnior, não descartou a possiblidade do Exército ter que ir para a linha de frente dos conflitos que acontecem na Penha, na Zona Norte do Rio.

"Estamos indo para a área de conflito. Se formos atacados, não há como não responder. Se tiver que haver confronto, infelizmente, vamos partir para isso", ressaltou o general.

Segundo ele, pelo menos 780 homens já foram deslocados e distribuídos em 40 pontos da região da Penha para fazer a segurança do Perímetro, e mais de 60% da tropa é de militares que já estiveram no Haiti. Nenhum recruta foi convocado para participar das ações.

Os soldados começaram a chegar por volta das 15h desta sexta-feira (26) ao conjunto de favelas do Alemão e à Vila Cruzeiro, na Zona Norte. Eles fazem parte de um grupo cedido pelo Ministério da Defesa para auxiliar no combate à onda de violência na cidade.

Segundo o coronel Zanan, da seção de comunicação do Comando Militar do Leste, a missão específica dos soldados é cercar e isolar a área do Alemão para que ela seja ocupada. Serão cerca de 800 soldados em mais de 50 viaturas. (O vídeo ao lado mostra traficantes no Alemão.)

Na quinta (25), uma operação policial liderada pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio entrou na favela da Vila Cruzeiro, que havia se tornado um reduto de traficantes na Penha. Cerca de cem criminosos fugiram em direção ao Alemão. A operação liderada pelo Bope teve apoio da Polícia Civil e da Marinha, que forneceu blindados.

Na íntegra do Gazeta Online

Greve dos rodoviários da Grande Vitória.

Por: Eliseu
Como sempre acontece, mais uma vez o que vemos é a população imensamente prejudicada devido a insensatez dos rodoviários que se acham acima da lei. Lei essa que nunca foi cumprida também por omissão das autoridades, que assistem passivamente a todos os desmandos promovidos principalmente por essa categoria profissional.
Deve-se lembrar que eles tem o direito à greve -desde que cumpram a lei- que neste caso foi estipulado que a frota circulasse com pelo menos 50%. Mais uma vez foi descumprido a determinação judicial, a população levada para seus afazeres, e agora impossibilitada de retornar aos seus lares, uma vez que grande parte dessa população sai apenas com o dinheiro da passagem, não podendo arcar com os custos de um taxi,  isso quando o encontra disponível. 
A pergunta que sempre fazemos: Onde está o direito do cidadão de ir e vir? Até quando veremos tais abusos serem cometidos com as autoridades assistindo de camarote o sofrimento alheio?