segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Ex-Amor - Simone e Martinho da Vila

Marcas da administração de Serra em SP

O tucano José Serra deixou marcas profundas em sua administração em São Paulo que jamais sairão da memória da população. São marcas negativas, mas que os resultados vem à tona praticamente todos os dias, com acidentes que causam mortes, danos materiais irreparáveis e transtornos de toda ordem.
Na tarde de ontem uma mulher de 62 anos morreu afogada após o carro que ela dirigia cair em um córrego de Carapicuíba, na Grande São Paulo, quando voltava de uma reunião de trabalho. Ela era aposentada, mas trabalhava como representante comercial e voltava da reunião com um amigo da família. O rapaz de 23 anos conseguiu escapar nadando.
O acidente, se é que se pode definir como tal,  ocorreu pouco antes de 16hs. foi na Rua Serra dos Cristais, no bairro Parque Planalto. O motor do carro morreu quando a mulher tentava passar pelas vias alagadas com o temporal que atingia a cidade. Ela passava por uma ponte quando o córrego transbordou e arrastou o veículo.
O corpo dela foi encontrado a 300 metros do veículo, que chegou a entrar por uma tubulação e sair do outro lado. Os bombeiros tentaram reanimar, em vão, a vítima ainda no local.
O carro foi parar no meio do córrego e ficou destruído, com vidros quebrados, lataria amassada e muito lixo. O veículo vai passar por uma perícia no Instituto de Criminalística, que é apenas mais uma formalidade, uma vez que providências contra maus políticos neste Pais ainda está muito distante.
Este é o homem que se dizia o mais preparado para ser Presidente da República. É aguardar a próxima eleição pra ver qual a resposta ele terá da população. Mas depois de terem eleito Tiririca como o deputado federal mais votado do Brasil...
Por: Eliseu

Charge do dia

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Zé Ramalho canta: Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores

José Serra, mais isolado do que nunca, continua o de sempre


Em entrevista a Rádio Jovem Pan, José Serra, o candidato da oposição PSDB-DEM-PPS ao Planalto derrotado na eleição do ano passado (e em 2002), revela-se o de sempre. Abre uma artilharia sobre os cortes orçamentários, “falso rigor fiscal” determinados pelo governo, insiste que a economia do país comporta o salário mínimo de R$ 600,00 que ele propôs tirando-se não se sabe de onde, posiciona-se contra o trem-bala, contra a busca de novos recursos para a Saúde e fala de seu futuro político. É o José Serra de sempre.
 Mas, está no seu direito de fazer oposição. No caso dele, e agora, é o chamado jus sperniandi. Pena que esteja apenas repetindo os bordões da velha oposição. A destacar somente o fato de que está na contramão, em dissintonia com os líderes da oposição.
Aliás, com boa parte de seus companheiros, como por exemplo os do DEM – à frente o prefeito paulistano Gilberto Kassab (ainda DEM-PSDB) – de malas prontas para fundar novo partido e percorrer uma rota que os leve ao PSB e a bandear-se para o governo.
Nem os companheiros de
oposição seguem José Serra
José Serra não se dá conta da crise que vive a própria oposição, já na UTI, segundo definição da senadora Kátia Abreu (ainda DEM-TO, mas também anunciando sua saída). Kátia quase foi vice-presidente na chapa tucana que perdeu a presidência da República no ano passado.
O salário, de R$ 600,00, proposto por José emplacou tanto, e é tão viável agora, que até Kátia Abreu absteve-se na votação do novo mínimo. Sobre seu futuro José Serra reiterou que não é candidato a prefeito de São Paulo na eleição municipal do ano que vem.
Em se tratando dele, também aí não dá para levar muito em consideração, ao pé da letra, porque nem quando assina documento em cartório ele cumpre o que promete. Em 2004 registrou documento em cartório assinalando que cumpriria o mandato de prefeito da Capital paulista até o fim – 1 ano e 4 meses depois abandonou o posto.
Fonte: Correio do Brasil

Foto do dia: Morcegos famintos

Morcegos da Reserva Eckert James River, no Texas, se alimentam de pragas da cultura do milho

Foto: Joel Sartore / National Geographic Image Sales
Durante o crepúsculo morcegos saem das caverna da Reserva Eckert James River, no Texas, famintos
O morcego da espécie Tadarida brasiliensis é facilmente encontrado na Reserva Eckert James River, no Texas. Durante o crepúsculo eles saem das cavernas, famintos. Os morcegos se alimentam de pragas da cultura do milho, como lagartas - fonte de proteína para a produção de leite destes mamíferos. Toda primavera, milhões de morcegos retornam à caverna.
Fonte:  Último Segundo

Charge do dia

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Foto do dia: mistura Indiana


National Geographic
Estação de trem em Mumbai promove um mix de estilos arquitetônicos
Foto: Abraham Nowitz / National Geographic Image Sales

Nico Fidenco - A casa de Irene

China amedrontada com a Internet

A China não será afetada pela onda de protestos que abala regimes autoritários do norte da África e Oriente Médio, disse uma importante autoridade, embora um surto de detenções e censura sugira nervosismo por parte de Pequim.
As declarações de Zhao Qizheng, ex-chefe do departamento de informação do governo, foram a principal reação do regime comunista até agora às mensagens pela Internet em que ativistas convocam protestos para dar início a uma "Revolução de Jasmim".
Até agora, os protestos na China têm sido pequenos e amplamente controlados pela polícia.
"Não haverá nenhuma Revolução de Jasmim na China", disse Zhao, segundo reportagem publicada nesta quinta-feira pelo jornal Wen Wei Po, que é editado em Hong Kong sob controle do regime de Pequim.
"Revolução de Jasmim" foi o nome dado por alguns tunisianos à rebelião que derrubou o presidente Zine al Abidine Ben Ali em meados de janeiro. A revolta rapidamente se espalhou por outros países da região, e semanas depois levou à queda do líder egípcio Hosni Mubarak.
"A ideia de que uma Revolução de Jasmim poderia acontecer na China é extremamente ridícula e irrealista", disse Zhao a um grupo de jornalistas na quarta-feira, segundo o jornal.
Relativamente poucos chineses veem a convocação dos protestos pela Internet, já que ela circula principalmente em sites do exterior, bloqueados na China continental. A palavra "jasmim" também está bloqueada nas buscas em sites chineses.
A entidade sediada em Nova York Direitos Humanos na China disse que 29 advogados e dissidentes foram detidos, confinados, interrogados ou sofreram buscas domiciliares desde 16 de fevereiro, mas não está claro quantos deles foram alvo dessas ações por causa da preocupação do Partido Comunista com os protestos.
Um homem no sudoeste da China e uma mulher no nordeste foram detidos sob a acusação de "incitar à subversão do poder estatal", segundo a esposa do homem e o Centro de Informações para os Direitos Humanos e a Democracia, de Hong Kong.
Zhao atualmente chefia a comissão de assuntos exteriores da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, uma instância que assessora o governo sem ter poderes legislativos.
Mesmo críticos ardorosos do regime comunista dizem que há atualmente poucas chances de que ele seja alvo de uma rebelião como as do Oriente Médio. Em 1988, protestos por democracia concentrados na Praça da Paz Celestial foram duramente esmagados na China.
Fonte: Estadão

Charge do dia

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Raul Seixas Capim Guiné - Clip inédito 2009 Caxinguelê

Tiririca agora "ataca" na Educação

Por Eliseu
Os políticos brasileiros, principalmente nossos nobres deputados perderam mesmo o senso do ridículo, ou pensam que toda a população é idiota. Agora vão indicar Tiririca para integrar a comissão de educação e cultura. Não poderia haver mais ironia no informe.
"A informação foi confirmada pelo líder do partido na Casa, Lincoln Portela (MG). A indicação será oficializada na terça-feira, segundo o PR. Foi o próprio Tiririca que pediu para entrar na comissão, por ela tratar da área em que ele atua, a cultura".

Tiririca foi o deputado federal mais votado nas eleições de 2010, recebendo mais de 1,3 milhão de votos. Antes de assumir, ele teve de provar à Justiça eleitoral que não era analfabeto, sendo submetido a um teste de leitura e escrita,  que convenceu apenas ao juiz que o aplicou. E também até hoje não foi esclarecido a acusação de falsificação da declaração de alfabetização, que apresentou um laudo mais irónico ainda:   
Acusado pelo Ministério Público de ter falsificado uma declaração de alfabetização ao registrar sua candidatura a deputado federal, Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o Tiririca, recorreu à medicina. Um laudo médico anexado a sua defesa diz que o humorista tem Transtorno de Desenvolvimento da Expressão Escrita, uma deficiência motora que o impediria de segurar uma caneta com firmeza.

Foto do dia: o vento leva

National Geographic
Turbinas eólicas fornecem energia para moradores da ilha Samso, na Dinamarca



Foto: Andrew Henderson / National Geographic Image Sales

A fonte de energia a partir do vento e que não produz poluição está ganhando popularidade pelo mundo. O vento é gratuito e faz com que os custos operacionais sejam quase zero, uma vez que a turbina é erguida. O número de plantas de energia eólica está crescendo, embora haja a queixa de as turbinas são uma monstruosidade e que as pás podem trazer riscos a pássaros e morcegos.

Fonte: Último Segundo

Ministro diz que se espanta de Oposição questionar decreto no STF

Por: Eliseu
Após as fragorosas derrotas nas urnas desde o primeiro mandato de Lula, que já está ficando ridículo as tentativas de virar o jogo dos tucanos. Quando perdem na Câmara e Senado, e perdem sempre, tentam o tapetão, no caso o STF.
Ontem o DEM prometeu protocolar no STF uma ação direta de inconstitucionalidade contra o artigo 3º, que permite a presidenta Dilma Rousseff de reajustar o salário mínimo, por decreto, nos próximos quatro anos. Além do DEM, PSDB, PPS e PV já anunciaram que irão ao STF se a presidenta sancionar o trecho. 
Em coro com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AC), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, saiu em defesa do reajuste do salário mínimo por decreto até 2015 e criticou a decisão da oposição de contestar o mecanismo no Supremo Tribunal Federal (STF).  Cardozo disse que não há inconstitucionalidade na lei aprovada pelo Congresso Nacional e que a ação dos partidos o “espanta”.
Cardozo: "Não paira discussão jurídica sobre decreto"
“A lei define o quanto será o salário mínimo, o decreto vai apenas formalizar aquilo que já está na lei. É uma prática comum. Portanto, fico espantado que se queira questionar aquilo sob qual não paira nenhuma discussão jurídica”, afirmou.
Para Sarney, o assunto não deveria ser levado para fora do Legislativo. "As questões políticas devem ser resolvidas aqui dentro da Casa. Nós chamarmos o Supremo como uma terceira via é uma coisa que deforma o regime democrático", afirmou.
O ministro da Justiça, no entanto, disse que “recorrer ao Judiciário é direito de qualquer cidadão, mesmo quando se está errado”.

E este blogueiro pensa que se é para o STF resolver o que foi decidido na Câmara ou Senado, não haveria necessidade da existência dos mesmos. Sendo assim, não há equiparação entre os poderes constituídos. 

Com informações do Último Segundo
 

Charge do dia

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Martinho da Vila - Pra que dinheiro e Pequeno Burgues

Votação do mínimo no Senado foi marcado por gafes

Por: Eliseu
Em mais uma vitória fácil do governo Dilma Roussef, o Senado aprovou o projeto de lei que reajusta o salário mínimo para R$ 545, aprovado na semana passada na Câmara dos Deputados. Os senadores rejeitaram, por 55 votos a 17 e 5 abstenções, a emenda que elevava o valor para R$ 600. Em seguida, rejeitaram a emenda que eleva o valor para R$ 560 por 54 a 19 e 4 abstenções. Os senadores rejeitaram, ainda, o destaque proposto pela oposição sobre o artigo 3º do projeto, que concede ao governo o direito de realizar novos reajustes por decreto até 2015. O destaque foi derrotado por 54 a 20, e 3 abstenções.
Mas durante longas horas de embates e discursos, vários deles inflamados, o que não  faltou foram gafes cometidas pelos parlamentares.

Senadora quem? 
Assumindo as funções de presidenta da sessão na ausência de José Sarney (PMDB-AP), a senadora Marta Suplicy (PT-SP) passou pelo constrangimento de, ao que tudo indicava, desconhecer ou ter esquecido do nome da líder do PSOL. Ao solicitar à Mesa a oportunidade de falar em nome da bancada, Marinor Brito (PSOL-PA) não informou seu nome. "Obrigada, senadora...., disse Marta, que em seguida permaneceu em silêncio por vários segundos até, aparentemente, ter sido lembrada por algum assessor. "...Marinor Brito, obrigada", concluiu.
Babador
Senador tucano Mário Canuto
Dono de um dos discursos mais eloquentes desta quarta-feira, o senador Mário Couto (PSDB-PA) teve de tirar um lenço do bolso para limpar o entorno de sua boca e seu rosto. “Lá vem a baba. Quando a democracia está ameaçada eu babo demais", justificou ao microfone.
Couto argumentava contra o artigo 3º do projeto que define que os reajustes serão conferidos por decreto presidencial, e não passarão pelo Congresso. Esse artigo, segundo ele, vai contra a Constituição brasileira e, por isso, é uma ameaça à democracia.
Pai não é padrasto
Itamar e Sarney
 A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) aproveitou seu discurso para fazer um alerta sobre a ameaça de retorno da inflação. Na fala, atribuiu ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) a implementação do Plano Real. Sentado e atento, o também ex-presidente Itamar Franco (PPS-MG) logo se levantou e pediu a palavra para reclamar. “Eu não poderia me calar”, disse Itamar. José Sarney tratou de amenizar os danos: “Todo mundo sabe que o Plano Real foi implantado no governo de Itamar Franco”
O regimento
Boa parte das discussões que ocorreram no Senado não foram exatamente em torno do salário mínimo, mas sim sobre o regimento. Depois de uma confusão sobre as regras de votação na Casa, a senadora Marinor fez questão de ressaltar para Sarney que, embora novata, conhecia o regimento.
Experiente, Sarney, que está em seu terceiro mandato à frente do Senado, ironizou. "A senhora é mais feliz do que eu que estou aqui há 30 anos e ainda não sei o regimento". Poucos minutos depois, quando todos estavam votando, Sarney lembrou que o regimento o impede de votar. Em seguida, ouviu a seguinte provocação: "Já que o senhor conhece pouco o regimento, pode votar".
Fonte: Último Segundo

Recifes de coral poderão desaparecer do planeta até 2050

De acordo com estudo, mais de 60% dos corais já estão ameaçados por causa do aquecimento global e por pressões locais

 

Os recifes de coral poderão desaparecer de todo o planeta até 2050, se não forem tomadas medidas urgentes para proteger essas "florestas marítimas" de todos os fatores que a ameaçam, da pesca excessiva ao aquecimento global. A advertência foi feita nesta quarta-feira (23) no informe "Reefs at Risk Revisited", realizado por pesquisadores e grupos de conservação ambiental dirigidos pelo comitê de especialistas o World Resources Institute (Instituto de Recursos Mundiais).
O aquecimento dos mares, causado pela mudança climática; a acidificação dos oceanos, obra da contaminação por dióxido de carbono; o transporte marítimo, o desenvolvimento costeiro e os resíduos agrícolas são as principais ameaças aos recifes de coral, que permitem milhões de pessoas ganharem a vida.
"Se isto não for controlado, mais de 90% dos corais estarão ameaçados até 2030 e quase todos os corais estarão em perigo até 2050", assinala o informe.

"As pressões locais sobre os recifes, como a pesca excessiva, o desenvolvimento costeiro e a poluição, representam a ameaça mais direta e imediata para os recifes de coral de todo o mundo e colocam em perigo mais de 60% das coloridas "florestas marítimas" em curto prazo, adverte o estudo.

O impacto da mudança climática agrava as pressões locais. "O aquecimento dos mares já causou grandes danos aos recifes, devido ao fato de que as altas temperaturas geram uma resposta chamada branqueamento: os corais pedem suas coloridas algas simbióticas", afirmou o relatório.
"Além disso, o aumento das emissões de dióxido de carbono (CO2) está fazendo que os oceanos fiquem mais ácidos. A acidificação dos oceanos reduz a taxa e o crescimento dos corais e pode reduzir sua habilidade de manter sua estrutura física".
A perda dos recifes de coral privaria milhões de habitantes costeiros de uma importante fontes de alimentos e rendas e, além disso, ficariam sem sua barreira natural de proteção das tempestades.
O desaparecimento dos corais também acarretaria a existência menos criadouros para a pesca comercial e menos areia nas praias turísticas.
"Precisamos melhorar, rápida e completamente, os atuais esforços para proteger os recifes", afirma o informe, que pretende incentivar o mundo a agir para salvar esses ecossistemas fundamentais.
Fonte: Último Segundo

Charge do dia

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Deslizes - Fagner

Hospital das Clínicas. Filas inúteis

 Republicação do Blog O Capixaba News também de minha propriedade, publicado nesta data.
 
Por: Eliseu
Sempre que tenho  oportunidade ressalto a excelência dos Médicos e demais profissionais técnicos da área que são ligados ao Hospital das Clínicas. Mas para que esses profissionais possam exercer suas atividades em sua plenitude é imprescindível que a Administração funcione adequadamente, o que infelizmente não acontece neste Hospital. O atendimento ao público é precário -para  não dizer péssimo-  passando pelos atendentes dos ambulatórios, entrega de prontuários que sempre faltam, e o mais absurdo deles acontece no laboratório, em que  para fazer um exame a pessoa  precisa enfrentar três filas, sendo que uma delas é inteiramente desnecessária. 
Foto: Eliseu - 22/2/2011 -  7 hs.
A fila inútil


Quando tem que ser feita uma marcação para exames, tem uma fila para atendimento (o que é perfeitamente normal), onde a atendende passa os exames pedidos pelo médico para  o computador,  que fornece um tickt com os devidos códigos, a data para realização dos exames e os cuidados necessários, como horas de jejum (quando é o caso) e forma de coleta.

Pois bem, no dia da coleta dos materiais em vez do paciente se dirigir diretamente à sala de coleta (ou a sua fila), não é o que acontece, sendo que tem que entrar novamente na fila onde já marcou o exame simplesmente para a atendente colocar uma etiqueta com as iniciais do paciente e aí sim, ele entra na terceira fila, que é para a coleta. Oras, porque na hora em que é feita  a marcação já não é colocado esse raio de etiqueta e elimina essa segunda fila? Será que é apenas para atazanar a vida de pessoas que estão fragilizadas por doenças, muitas delas idosos e crianças (não existe atendimento exclusivo para eles) que acabam passando na frente, estão sem se alimentar durante várias horas, ou é apenas um descaso com a coisa pública?

Recentemente fiz uma publicação no blog O Carcará, com o título  Falta de respeito no Hospital das Clínicas, onde é citado o Laboratório, sendo que no entanto o problema não era exatamente dele, e sim também administrativo como acontece nesta postagem.
Deixo claro que jamais questionaria a parte técnica deste laboratório, mesmo porque sou leigo, e também devido à grande credibilidade que o mesmo tem junto a classe médica não só desse Hospital, mas de outras unidades de saúde e particulares. Mas não parece acertado que o chefe do setor, que é um profissional técnico de alto nível que tem que cuidar do perfeito resultado dos exames, e o faz bem, tenha que se preocupar com filas.
Fica a sugestão: Porque o Hospital não se dispõe de um profissional Administrativo para cuidar dessa, e de toda burocracia do Hospital? Seria um ganho para todos.

Serra irrita Tucanalhada em entrevista rancososa à Globo

 Por: Eliseu

Pegou mal a entrevista que o ex-governador paulista José Serra concedeu ao jornal O Globo. No rancoroso depoimento, publicado nesta segunda-feira (21), o candidato tucano derrotado nas eleições 2010 acusa a presidente Dilma Rousseff de marchar para "um estelionato eleitoral".

Na base aliada a Dilma, o lengalenga serrista foi motivo de ironia e chacota. "O fracasso lhe subiu à cabeça”, disparou no Twitter o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. “Quem entende bem de estelionato é o Serra, que assinou um documento em cartório prometendo cumprir seu segundo mandato de prefeito até o final”, agregou o senador Lindberg Farias (PT-RJ).

Mas o efeito colateral mais desastroso da entrevista se deu entre supostos aliados de Serra. Embora o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), tenha declarado concordância com a subida do tom do discurso do companheiro contra o governo, a postura assumida por Serra incomodou não só uma parte dos tucanos como também lideranças do DEM.

Há quem tenha percebido nas entrelinhas da entrevista do ex-governador muito mais que uma simples sinalização de que ele pretende se manter na vida pública. A impressão de alguns deles é que Serra não só trabalha para viabilizar uma nova candidatura à Presidência em 2014 como para impedir a possibilidade de o senador Aécio Neves (PSDB-MG) entrar na disputa.

“Ouvi na semana passada de um deputado tucano que a ausência de Serra do cenário nacional ajuda a arejar o partido e diminui o clima de tensão e medo que prevaleceu nos últimos anos em razão de sua influência no comando do PSDB”, confidenciou um líder da oposição, preferindo não ser identificado.



Do: Portal Vermelho

Charge do dia

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Chris de Burgh: Always On My Mind

Serra(ES) deve 17 milhões à empreiteiras, atrasa obras e não cuida da dengue

Republicação do blog O Capixaba News, também de minha propriedade. Postado hoje a alguns minutos.
Por: Eliseu
Após sérias denúncias de irregularidades  envolvendo o prefeito Sergio Vidigal com empreiteiras, principalmente as ligadas ao serviço de limpeza e jardinagem, a prefeitura de Serra anuncia o provável atraso de 36 obras por conta de uma dívida de R$ 17 milhões com empreiteiras. Outras três sequer começaram por falta de verba.
 Da lista de reformas, construções e ampliações que podem sofrer atraso, segundo o município, todos os projetos devem ficar prontos até fevereiro de 2012. Mas outros projetos novos, que ainda não começaram, só serão lançados a partir de março do ano que vem, à exceção de convênios com repasse de verba.

"Fizemos uma reunião entre o prefeitos Sérgio Vidigal e os secretários da cidade para traçar as diretrizes do município para este ano. Todas elas estão interligadas, e com o objetivo de poupar o máximo de custo previsto", explica o coordenador do Planejamento Estratégico da Serra, Leonardo Bis.

A prefeitura vai buscar uma melhor eficiência e uso dos equipamentos municipais, gestão de informação e da tecnologia, a modernização e o desenvolvimento da infraestrutura da cidade, a valorização e motivação dos servidores, criatividade e inovação nas áreas de políticas sociais.

"Todas as diretrizes buscam um painel de resultados e que vão contribuir para o município quitar a dívida próxima de R$ 17 milhões", reforça Bis, que já foi secretário de Finanças e secretário de Planejamento do município.

Enquanto isso, a dengue não é combatida, sujeira nas ruas, a exemplo da Rua NN em Jardim Limoeiro onde existe um condomínio com 496 apartamentos e que em três anos e  meio foi varrida três vezes, sendo menos de uma vez ao ano. Poças de água da chuva se acumulam, o mato já tomou conta da rua formando um verdadeiro paraiso para a procriação do mosquito da dengue que tanto "preocupa" as autoridades, como pode ser visto nestas fotos feitas hoje, várias horas após a última pequena chuva. Essa é apenas uma realidade das inúmeras ruas na mesma situação.


















Fotos da Rua NN em frente ao Cond. Parque dos Pássaros

Sempre lembrando que a prefeitura de Serra é a 2ª maior arrecadação do Estado, com várias indústrias de grande, médio e pequeno porte, além de um comércio forte e outras atividades geradoras de receita, sendo inaceitável tal situação. Esperamos que o Ministério Público investigue com rigor esse rombo nas finanças, e tome as providências devidas.

Kadhafi insiste em não deixar poder

O ditador Muammar Kadhafi, "amaldiçoou" nesta terça-feira (22) os responsáveis pelos protestos de rua contra o seu governo, que paralisam o país desde 15 de fevereiro, e criticou os países "árabes e estrangeiros" que estariam tentando desestabilizar a Líbia.

Em um tom raivoso, gesticulando e apontando o dedo para o alto, ele disse que ainda é o "chefe da revolução" no país, que governa desde 1º de setembro de 1969 após um golpe de estado, e disse que deixar a Líbia "não está entre as suas oposições" e que pretende morrer no país.

"Muammar Kadhafi é o líder da revolução, sinônimo de sacrifícios até o fim dos dias. Este é o meu país, de meus pais e antepassados", disse. "Morrerei como um mártir na terra de meus ancestrais", afirmou, em um longo discurso televisionado pela TV estatal, e aparentemente improvisado.

O coronel, de 68 anos, culpou EUA e Reino Unido pela orquestração dos protestos, que já provocaram centenas de mortes no país, e disse que a Líbia já resistiu antes às investidas das potências e que resistiria novamente.

Ele também pediu que seus partidários vão às ruas a partir desta quarta-feira (23) para enfrentar "os ratos" que protestam contra o regime e "garantir a segurança" nas cidades do país. "Eu vou lutar até a última gota do meu sangue, com o povo da Líbia por trás de mim", disse.

O ditador também ordenou que o Exército e a polícia "tomem controle" da situação e afirmou que os "manifestantes armados" podem ser punidos com a pena de morte.

Ele afirmou que ainda "não usou violência" na repressão aos protestos, mas ameaçou começar a fazê-lo, ameaçando dar uma resposta semelhante à ocorrida em Tiananmen (massacre da Praça da Paz Celestial, na China) e Fallujah (no Iraque), em que manifestantes pró-democracia foram massacrados. 

"O povo líbio está comigo", disse. Kadhafi também criticou a imprensa estrangeira que cobre os protestos, que, segundo ele, estaria "trabalhando para o diabo". 

Kadhafi não havia feito nenhuma declaração oficial desde o início das manifestações contra o regime. Ele fez apenas uma breve aparição pública na madrugada desta terça para desmentir os boatos de sua fuga para a Venezuela.

Mortes

A repressão dos protestos apenas na capital da Líbia, Trípoli, causou ao menos 62 mortos em Trípoli desde domingo, afirmou nesta terça a organização de defesa dos direitos Human Rights Watch (HRW) com base em dados recebidos de dois hospitais da capital.

Como apenas dois hospitais foram ouvidos, o número poderia aumentar. A entidade, com sede em Nova York, também confirmou relatos de que policiais e militares atiraram indiscriminadamente contra manifestantes.

À frente do país desde 1969, o coronel Kadhafi está pressionado após a violenta repressão a protestos populares contra o seu governo, que deixaram centenas de mortos.

Não há informação oficial dos dados sobre vítimas, que são frequentemente contraditórios. A própria HRW disse, na segunda, que pelo menos 233 pessoas tinham morrido em confrontos nas cidades do interior. A Federação Internacional dos Direitos Humanos afirmavam que poderia haver entre 300 e 400 mortos.

Diplomatas, líderes tribais e líderes religiosos deixaram de apoiar Kadhafi nos últimos dias e pedem sua saída.

Situação caótica

A situação em várias cidades do país é caótica, segundo vários relatos. O lado líbio da fronteira egípcia estava sob controle de rebeldes armados com cassetetes e fuzis Kalashnikov, que saudaram visitantes vindos do Egito, relatou um correspondente da Reuters que atravessou a fronteira, entrando na Líbia.

Soldados líbios na cidade de Tobruk disseram que eles não apoiam mais Kadhafi e confirmaram que o leste do país está fora do controle do governo. Moradores afirmaram que a cidade está agora em mãos do povo e vem sendo assim há três dias.

As manifestações se espalharam para Trípoli, partindo de Benghazi, a segunda maior cidade do país e berço da revolta, e já chegou a várias cidades. Moradores de Benghazi dizem que a cidade agora está sob controle dos manifestantes.

Um líbio que não pôde ser identificado disse ao correspondente da Reuters em território líbio que Benghazi foi "libertada" no sábado de um batalhão pertencente a um dos filhos de Kadhafi.

Os combates em Benghazi teriam sido interrompidos nesta terça, pois seus habitantes temem a possibilidade de bombardeios, segundo testemunhos feitos por telefone à France Presse.

As operações em três portos de carga no Mediterrâneo -Benghazi, Trípoli e Misurata- foram fechadas em decorrência da violência no país, disseram fontes do setor de navegação.

Os combates explodiram no leste produtor de petróleo da Líbia na semana passada, em uma reação a décadas de repressão e após levantes que derrubaram líderes na Tunísia e no Egito, e depois chegaram a Trípoli.

Repercussão

O secretário-geral do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), Abdel Rahman Attiya, lançou um apelo nesta terça aos países árabes e islâmicos e à comunidade internacional para que "o genocídio" do povo líbio seja detido.

Em um comunicado, o secretário do CCG - que reúne Bahrein, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Omã, Qatar e Kuwait - denunciou "as violências perpetradas pelo regime contra o povo líbio".

Attiya pediu "uma ação árabe, islâmica e internacional para apoiar o povo líbio que enfrenta um verdadeiro genocídio". A Jordânia, por sua vez, exigiu o fim "imediato" do "banho de sangue" na Líbia.

A ONU deveria fazer ainda nesta terça reunião de emergência do Conselho de Segurança para tratar da situação do país.


Fonte: Gazeta Online

Dilma vai ao velório da Folha e diz que governo deve saber conviver com críticas, "mesmo quando são irritantes"

Por: Eliseu

A presidente Dilma Rousseff defendeu na noite de ontem a liberdade de imprensa durante discurso em evento comemorativo aos 90 anos do jornal Folha de S.Paulo, que se encontra em franca decadência, tendo perdido recentemente o posto de jornal de maior circulação do País. E como não poderia deixar de ser, tomou emprestado a sala São Paulo do governo Paulista, que todos sabemos é parte integrante do PIG. O grande jornal da decadência  convidou diversas autoridades eclesiásticas em ato ecumênico para "benzer" o jornal, e cortejando o poder, convidou políticos, juízes, banqueiros e personalidades dos mais variados segmentos, desde o Juiz Fausto De Sanctis, passando pelos presidentes do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, prefeito, governador, ministros, ex-presidentes da República, parlamentares, demo-tucanos com e sem mandato como FHC e Serra, e até a presidenta Dilma. 

Segundo Dilma, o governo deve saber conviver com as críticas dos jornais, "mesmo quando são irritantes, mesmo quando nos afetam".

Dilma lembrou que a imprensa no país nem sempre foi livre e ressaltou que a democracia só é possível na presença do contraditório. 

 Quando saímos da ditadura consagramos a liberdade de imprensa e rompemos com o passado que vedava manifestações e que tornou a censura o pilar de uma atividade que afetou profundamente a imprensa brasileira  disse. 

 A nossa democracia se fortalece com práticas diárias, sobretudo pela liberdade de opinião e de expressão, liberdade que se alicerça na liberdade de crítica completou.

A presença da Presidenta gerou polêmica na blogosfera, acostumada a combater o demo-tucanismo de um dos principais jornais do PIG (Partido da Imprensa Golpista).

Com este gesto, Dilma respondeu à intolerância com a tolerância, combateu o preconceito e impôs a supremacia da razão e civilidade sobre o discurso do ódio. E desmentiu no próprio jornal todo aquele noticiário da Folha que a colocava domo demônio, como se fosse uma ameaça à democracia e a liberdade de expressão, entre as quais a liberdade de imprensa, o que desarma as resistências lobistas contra um novo marco regulatório e democratização dos meios de comunicação. 

Devemos lembrar que em alguns estados, principalmente Minas Gerais e São Paulo, o PIG exerce muita influência. Nas eleições passadas , Alckmin não teria sido  eleito em primeiro turno, se não fosse a grande pressão do PIG. Isso mostra a tolerância da Presidenta que conquista novos caminhos.

Temos que lutar pela internet livre, pois não só no Brasil como no resto do mundo, podendo ser observado o que acontece no Oriente e África, é esse poderoso veículo de comunicação instantânea que tem aberto os olhas da população para os desmandos dos ditadores, e mobilizado milhares de pessoas através de  suas redes sociais.