quinta-feira, 9 de junho de 2011

Após quitar dívida de 17 milhões, Serra(ES) quer construir aeroporto


Em meio aos incontáveis impasses que dificultam a retomada das obras do Aeroporto de Vitória, o Governo do Estado deve receber, já no próximo mês, o projeto executivo para a construção de um terminal de cargas na Grande Vitória. O anúncio foi feito pelo prefeito da Serra, Sérgio Vidigal, que destacou também a realização de um concurso público com mil vagas, ainda para este ano.
Os dois projetos - tanto do aeroporto quanto do processo seletivo - vem à tona junto da notícia de que o município da Serra conseguiu quitar as dívidas que tinha junto à indústria da construção civil. Cerca de R$ 17 milhões foram pagos ao setor, e com isso a prefeitura retoma sua capacidade de investir. Para isso, Sérgio Vidigal convocou uma coletiva de imprensa.
"Essa entrevista coletiva que convocamos não foi para dizer que a Serra está abarrotada de dinheiro, nada disso. É para dizer que a crise foi superada, mas que ainda temos que ter muita cautela. Se não, daqui a pouco podemos perder novamente o fio da meada", ressaltou o prefeito.
Segundo Vidigal, a prefeitura já concluiu o projeto executivo para a construção de um terminal de cargas numa área de 4,3 mil metros quadrados, entre os bairros de Jacaraípe e Nova Almeida. O estudo feito pelo município aponta que, nessa área, não haveria confronto no mapa de navegabilidade aérea na Grande Vitória.
O prefeito adiantou que o projeto deve chegar às mãos do governador Renato Casagrande no mês de julho. A sugestão é de que o novo aeroporto, caso deferido pelo Governo Federal, seja tocado por meio de uma parceria público-privada, a chamada PPP. A pista de pouso prevista no desenho terá 3 mil metros, e o custo total de execução seria de R$ 168 milhões.
Concurso
Em agosto, a Prefeitura da Serra deve lançar o edital para um concurso que prevê a contratação de mil novos profissionais. A maioria das vagas é para a área de Educação, mas também estão previstas contratações de  administradores, arquivologistas, historiadores, jornalistas, oceanógrafos, entre outras 12 áreas.
Segundo Vidigal, o grande desafio do município, neste momento, não é mais nem tanto construir novas estruturas, e sim manter a qualidade dos serviços para a população. Um dos motivos dessa observação é o aumento da população, atraída pelos lançamentos imobiliários na Serra.
"O que a prefeitura precisa hoje? Precisa ampliar seus investimentos em manutenção da cidade. A população que chega é a população classe C, principalmente vinda por investimentos do "Minha Casa, Minha Vida". São pessoas que demandam o poder público", pontuou o prefeito.
Entre 2009 e 2011, 5,4 mil estudantes ingressaram na rede municipal pública da Serra. Por isso,  já de olho no início do ano letivo do ano que vem, as provas do concurso público devem ser aplicadas em dezembro. Os salários para as áreas previstas gira em torno de R$ 2 mil.
Por: Gazeta Online