terça-feira, 21 de junho de 2011

Kassab diz que criará PSD com verba pessoal

Prefeito de São Paulo minimiza acusações de irregularidades e atribui sua "infidelidade partidária" à democracia


O prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (DEM), afirmou ontem, que paga do próprio bolso as viagens que faz pelo País para promover a criação da sua nova legenda, o Partido Social Democrático (PSD).
Segundo Kassab a coleta de assinaturas para a criação do partido, que ainda não foi registrado, "não tem custos". "O trabalho é feito por vereadores e pela militância. As viagens foram pagas com recursos pessoais", explicou o prefeito.
O fundador do PSD atribuiu sua "infidelidade" ao DEM à democracia. "Defendo a fidelidade. Mas é normal em uma democracia, quando necessária, uma mudança de partido. O PSD nasce em um momento da democracia que várias lideranças entenderam ser necessária uma nova sigla partidária. O PSD veio para ficar", destacou.
Kassab minimizou as irregularidades encontradas nas assinatura de apoio à criação da sigla, incluindo nomes de pessoas mortas e a utilização da máquina pública. De acordo com ele, o caso envolvendo um funcionário da prefeitura foi "uma exceção" as assinaturas de mortos se devem a "inocência de algum militante".
Nota 10

Mesmo com as críticas sobre sua atuação à frente da Prefeitura de São Paulo, Kassab deu "nota 10" à sua administração. "Eu dou 10 pelo nosso esforço e pela vontade de acertar", disse.
O prefeito foi entrevistado durante duas horas pelo jornal "Folha de S. Paulo". Ele ouviu elogios do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e críticas da senadora Marta Suplicy (PT-SP), ambos seus antecessores.
Em mensagem gravada, Maluf citou o currículo do engenheiro Gilberto Kassab e disse que, por ter apenas 50 anos, o prefeito tem um "futuro político brilhante".
Já Marta, apontada como possível candidata do PT à sucessão de Kassab em 2012, não poupou artilharia. "Não posso fazer uma boa avaliação do governo Kassab. É uma gestão que não tem uma marca", criticou, também em mensagem gravada. Kassab respondeu que os problemas de São Paulo são provenientes de uma "herança de várias décadas".

Por: Diário do Nordeste