sexta-feira, 22 de julho de 2011

Brasileiros consideram que a cor ou raça influencia o trabalho

Por: Eliseu

Quadro "Redenção do Cam" (de 1895, avó negra, mãe mulata, esposo e filho brancos). Para o governo da época, a cada geração o brasileiro ficaria mais branco. Quadro de Modesto Brocos y Gomes.No Brasil, onde temos senão a maior, uma das maiores miscigenações raciais do mundo, mesmo assim é um país extremamente racista, o que pode ser observado facilmente no dia a dia da população, como relação emprego x salário, relação com a polícia, etc.

De acordo com estudo, mais da metade da população brasileira (63,7%) reconhece que a cor ou a raça exerce efeitos diferentes nas relações cotidianas. A constatação é de pesquisa divulgada hoje (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O trabalho, citado por 71% dos entrevistados, é a situação cotidiana que mais sofre influência da cor e da raça. Em seguida, aparecem as relações com a polícia/Justiça (68,3%) e no convívio social (65%). O levantamento foi feito em 15 mil domicílios de cinco estados e no Distrito Federal.

A Pesquisa das Características Etnorraciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça foi feita no Amazonas, na Paraíba, em São Paulo, no Rio Grande do Sul, em Mato Grosso e no Distrito Federal. Do total dos entrevistados, 96% souberam se autoclassificar.

Com informações de Agência Brasil, Wikipédia e IBGE