sexta-feira, 15 de julho de 2011

Dono da casa faz armadilha, e ladrão leva a pior!

Por: Eliseu

Ilustração No Brasil é mesmo difícil entender certas coisas, ou quase tudo. A lei que deveria proteger o cidadão de bem, o trabalhador que batalha honestamente para sobreviver, aqui abaixo da linha do equador funciona da forma contrária, talvez devido ao calor do trópicos, que deixa os miolos dos que deveriam elaborar leis, -os quase todos desonestos honestos e regiamente remunerados deputados-  revirados. Quando o cidadão tem sua casa invadida, esposa e filhas estupradas, é assaltado e achincalhado de todas formas pelos bandidos, fica por isso mesmo. Mas quando em desespero de causa, já que a polícia também pouco ou quase nada pode fazer para protege-lo, resolve tomar uma atitude mais drástica contra os bandidos, aí sim, a lei se pronuncia de forma imediata e rígida.

Não querendo defender a pena de morte ou justiça com as próprias mãos, mas já defendendo, vai um exemplo que vem da pequena cidade de Formosa-GO, localizada a aproximadamente 70 km da Capital do Poder, e da corrupção também.

Após sofrer oito assaltos à sua residência pelo mesmo ladrão, e sem que providências legais fossem tomadas, e necessintando trabalhar, José Geraldo de Souza montou uma bela armadilha para o ladrão Jefferson Marques Evangelista, de 32 anos, que caiu como um pato, ou melhor, um rato!

José Geraldo, o dono da residência, montou uma engenhoca usando fios, um pedaço de cano, ratoeira, munição utilizada em espingarda calibre doze e pólvora. Não deu outra. Foi só o proprietário sair que o gatuno adentrou a residência e levou de uma só vez dois belos tiros no peito, morrendo imediatamente. E tarde!

Aí a lei se pronuncia com todo rigor, a polícia indiciando-o por homicídio doloso (aquele que há intenção de matar), -é claro que a intenção era matar mesmo- os “especialistas em segurança”, como o Rodrigo Pimentel, da Rede Globo, dizer que a armadilha poderia ter atingido uma pessoa inocente. Ora, ou os meus 55 anos já deixaram esse blogueiro “gagá”, ou até onde sei, parentes e amigos não arrombam casa para fazer uma visita. A não ser que o Rodrigo aprendeu isso em seus treinamentos no BOPE.

Agora o pobre do José Geraldo para não ficar preso, teve de pagar fiança, vai responder um belo processo por homicídio, e se não tiver dinheiro para pagar um bom advogado, poderá cumprir pena de até 30 anos de reclusão, simplesmente por ter defendido seu patrimônio. É Brasil…

As informações são do Cariri Notícia