segunda-feira, 25 de julho de 2011

Governo golpista aprova lei que destrói a carreira de educadores em SC

O projeto de lei complementar que altera o plano de carreira, considerado um retrocesso para os educadores, foi votado a bancarrota após o presidente da ALESC Romildo Titon (PMDB) negar o pedido de vista pelos parlamentares da oposição que permitiria que o PLC fosse rediscutido pelas comissões por mais 8 dias.

Os 1600 educadores que estavam no hall de entrada da ALESC protestando contra a PLC, revoltaram-se com a decisão do presidente da ALESC e tentaram ocupar o plenário protegido pela policia militar desde o inicio da sessão.

Cerca de 20 minutos após a confusão, o Pelotão Tático da Polícia Militar (GRT) entrou no 'Hall' da Assembleia impedindo que os educadores, ficassem na frente dos vidros que dão visibilidade ao plenário. Relatos de professores que estavam nas galerias da Assembleia Legislativa, denunciaram que 32 policiais a paisana se encontravam também na galerias. Inclusive dentro do Plenário, tendo mais P2 (policiais infiltrados) do que professores, como a própria Deputada Ângela Albino afirmou no início.

Por: CMI Brasil