sábado, 2 de julho de 2011

Morre Itamar Franco

O verdadeiro pai do Real e um dos mais corretos políticos brasileiros, o ex-presidente Itamar Franco morreu na manhã de hoje aos 81 anos. Ele estava internado desde 21 de maio para tratamento de uma leucemia.

Por: Eliseu 

Itamar Augusto Cautiero Franco que nasceu em Salvador no dia 28/6/1930 foi um atuante político brasileiro. Exerceu o cargo de senador pelo PPS de Minas Gerais. Foi o 33º Presidente da Republica, de 1992 a 1994, Vice-Presidente de 1990 a 1992, Senador por Minas Gerais de 1975 a 1978, 1983 a 1987 e 1987 a 1991, e Governador do estado de Minas Gerais de 1999 a 2003.

Formou-se em engenharia civil na Escola de Engenharia de Juiz de Fora da Universidade Federal de Juiz de Fora em 1955. Ingressou na carreira política em 1958 quando, filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), foi candidato a vereador de Juiz de Fora e mais posteriormente, em 1962, a vice-prefeito, não obtendo êxito em ambas as tentativas. Com o início do Regime Militar, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), sendo prefeito de Juiz de Fora de 1967 a 1971 e reeleito em 1972, quando dois anos depois, renunciou ao cargo para candidatar-se, com sucesso, ao Senado Federal por Minas Gerais, em 1975. Ganhou influência no MDB, assim sendo eleito vice-líder do partido em 1976 e 1977. No início da década de 1980, com o pluripartidarismo restabelecido no país, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o sucessor do MDB. Em 1982, é eleito senador novamente, estando defendendo sempre as campanhas das Diretas já, e votando no candidato oposicionista Tancredo Neves para presidente na eleição presidencial de 1985. Migrou para o Partido Liberal (PL) em 1986, ano em que concorreu ao governo de Minas Gerais, mas foi derrotado, voltando ao Senado em 1987 pela terceira vez.

Em 1988, uniu-se ao malfadado governador alagoano Fernando Collor de MelloFernando Collor para lançar uma candidatura à Presidência e Vice-presidência do Brasil, pelo Partido da Reconstrução Nacional (PRN). Itamar, como Vice-presidente, divergia em diversos aspectos da política econômico-financeira adotada por Collor, vindo a retirar-se do PRN e voltando ao PMDB em 1992. Seguindo o impeachment do presidente, assumiu interinamente o papel de chefe de Estado e chefe de governo em 2 de outubro de 1992 e o papel de Presidente da República em 29 de dezembro de 1992. Foi em seu governo que foi realizado um plebiscito sobre a forma de governo do Brasil, que deveria ter sido feita há 104 anos; o resultado foi a permanência da república presidencialista no Brasil. Durante sua incumbência, foi idealizado o Plano Real, sendo portanto Itamar o “Pai do Real” e não FHC que era um mero Ministro. Com alto índice de popularidade, Itamar elegeu seu sucessor Fernando Henrique Cardoso, tendo se arrependido amargamente após.

Opondo-se fortemente a seu sucessor, Itamar cogitou candidatar-se a Presidente em 1998 e 2002, mas não prosseguiu com a ideia e elegeu-se facilmente Governador de Minas Gerais em 1998. Em 2002, apoiou a candidatura de Luis Inácio Lula da Silva e opôs firmemente à candidatura de José Serra, candidato apoiado por Fernando Henrique. Não tentou reeleição no estado de Minas Gerais. Em maio de 2009, filiou-se ao Partido Popular Socialista (PPS).

Itamar Franco é um dos poucos políticos brasileiro que não pesam contra si, acusações de corrupção, suborno e outras tretas comuns aos nossos políticos. E  chama a atenção a falta de apoio à sua doença pelos seus colegas políticos, inclusive o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma, que só se manifestaram publicamente logo após sua morte.

Com informações de Wikipédia