sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Alimentos barateiam novamente e inflação cai

Variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, foi de 0,16% em julho. Nova queda do preço do alimentos compensa alta dos combustíveis e produz terceiro resultado mais baixo já visto num mês de julho, atrás apenas de 1998 e 2010. No ano, inflação está acumulada em 4%, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (05/08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) .

Contrariando a  grande imprensa (leia-se PIG, com Miriam Leitão à frente), a direita brasileira torta, que torcem para a desestabilização do país, uma nova e mais intensa queda no preço dos alimentos em julho compensou outra alta dos combustíveis e contribuiu para que a inflação terminasse em 0,16%, a terceira mais baixa já verificada naquele mês pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) começou a ser calculado em 1994.
O resultado, divulgado nesta sexta-feira (05/08), é parecido com o de junho (0,15%) e faz com que, no acumulado do ano, a inflação esteja em 4% - o limite máximo aceito pelo governo é de 6,5%. Apenas em 2010 e 1998 é que o IBGE havia apurado em julho uma inflação menor do que agora (0,01% e -0,12%, respectivamente).
O IPCA do mês passado foi influenciado sobretudo pelos alimentos, que voltaram a baratear. Em junho, o preço deles caíra 0,26% e, em julho, baixou 0,34%. Isso ajudou a compensar movimento oposto verificado pelo IBGE em um outro item (combustíveis) com peso grande no IPCA. Se em junho, gasolina e álcool tinham barateado mais de 4%, encareceram 0,47% no mês seguinte.
Segundo o IBGE, a variação de preços na área de “transportes”, dentro da qual estão os combustíveis, foi a única que piorou na passagem de junho para julho. Todos os demais grupos tiveram de um mês para o outro inflação menor (alimentação/bebidas, habitação, artigos para residência, vestuário, saúde, despesas pessoais e comunicação) ou igual (educação).
Nos últimos doze meses encerrados em julho, a inflação está acumulada em 6,87%. Nesta quinta-feira (04/08), o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse que, para ele, o IPCA acumulado em doze meses começará a cair do último trimestre em diante. E, a partir de abril de 2012, estaria de volta ao centro da meta oficial do governo, que é de 4,5%.

Por: Eliseu,

Com informações do Carta Maior