terça-feira, 16 de agosto de 2011

Dilma diz que levará universidade para o interior do Brasil

Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da República/Divulgação A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira, em Brasília (DF), a criação de quatro novas universidades federais no Pará, Bahia e Ceará, além de novos campi universitários e 120 unidades dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia distribuídos por todo o País. Segundo a presidente, o objetivo é promover a interiorização do acesso à universidade e ao ensino técnico.

"Levar a educação para o interior do Brasil é o mesmo que construir um caminho para o desenvolvimento e para o conhecimento, para que esses jovens sejam capazes de produzir a inovação que precisamos", disse Dilma. Segundo ela, a expansão do ensino federal é importante para que o Brasil "ocupe o seu lugar no mundo, de ser uma das maiores potencias".

Dilma ainda citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para reafirmar que continua o trabalho de transformação do sistema educacional brasileiro. "Um presidente e um vice (José Alencar) sem formação universitária e, por isso mesmo, que tinham ampla consciência da importância desta formação para a vida dos jovens e de um País. Isso levou a essa transformação histórica e que eu faço questão de continuar".

Ela também falou sobre o Programa Universidade para Todos (Prouni), como forma de garantir o acesso ao ensino público nas instituições privadas e fez referência ao países que enfrentam conflitos por causa da falta de financiamento público na educação. "Isso que fizemos vai contra um pensamento que dominava a América Latina e que tem motivado protestos estudantis, pois nós conseguimos assegurar que a população não gaste 40% da sua renda para custear o ensino".

Novas universidades
As novas universidades federais serão instaladas no Pará, na Bahia e no Ceará. A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) terá sede na cidade de Marabá, onde hoje funciona o campus Marabá, da Universidade Federal do Pará (UFPA). A Universidade Federal da Região do Cariri (UFRC), no Ceará, terá sede em Juazeiro do Norte - ela será instalada na atual estrutura do campus Cariri, que pertence à Universidade Federal do Ceará (UFCE).

A Bahia ganha duas instituições: a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufoba) com sede em Barreiras, onde atualmente funciona o campus Barreiras, da Universidade Federal da Bahia (UFBA); e a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), que terá sede em Itabuna.

Novos campi
Outras 12 universidades federais, de 11 Estados, ganharão 15 novos campi, completando 27 unidades: no Pará, a UFPA (1); na Bahia, a UFBA (1) e a UFRB (1); no Ceará, a UFCE (2); em Pernambuco, a UFRPE (1); em Goiás, a UFG (2); no Maranhão, a UFMA (1); no Mato Grosso, a UFMT (1); em Minas Gerais, a UFVJM (2); em São Paulo, a Unifesp (1); em Santa Catarina, a UFSC (1); e no Rio Grande do Sul, a UFSM (1).

Institutos Federais
Também serão construídos 120 unidades de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia em municípios dos 26 Estados e no Distrito Federal. A previsão é de que todas as unidades estejam em funcionamento até 2014, de acordo com MEC. As novas unidades se somam às 88 que estão em construção, com término previsto para o final de 2012. Ao final de 2014, portanto, o País terá 208 unidades de educação profissional.

Por: Terra