quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Família de Kadafi torturou até babá

Uma reportagem publicada hoje no Jornal de Notícias, com o título “Ama torturada por família de Kadafi”, mostra bem um pouco de como são cruéis estes governantes ditadores que infelizmente ainda se encontram mundo afora.

A reportagem afirma que a etíope Shewyga Mullah, de 30 anos, que era babá dos filhos de Hannibal Kadafi, foi torturada com água fervente por se recusar a bater em um de seus filhos. O vídeo é chocante, mas os que ainda insistem em ter “peninha” desses ditadores devem assistir.

A mulher foi descoberta por uma equipe da CNN na casa de praia de Hannibal, filho do ditador líbio, e relatou os horrores que sofreu nas mãos do clã mais rico do país africano, claro que às custas da altíssima corrupção existente, sublinhado que as torturas aos empregados eram comuns dentro do complexo residencial da família. Para se ter uma pequena visão do luxo em que viviam, basta ver o banheiro de filha de Kadafi.

O jornal afirma ainda que etíope chegou à Líbia há cerca de uma ano para tomar conta dos dois filhos de Hannibal Kadafi, mas nunca recebeu salário. Os casos de violência iniciaram-se há uns meses quando se recusou a bater, por ordem da própria mãe, na menina que tinha a seu cargo e que não parava de chorar.

"A minha patroa levou-me para casa de banho e amarrou-me as mãos atrás das costas. Pôs-me fita adesiva na boca e começou a atirar-me água fervendo pela cabeça", relatou.

Após torturá-la várias vezes a família Kadafi manteve a mulher afastada dos demais empregados e não permitiu que esta procurasse tratamento hospitalar para as extensas queimaduras.

Se são capazes de fazer isso com uma pessoa que convive dentro de suas residências, cuida de seus filhos e netos, imagine o que são capazes de fazer com quem tem ideais políticos diferentes.

Por: Eliseu