segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Médica se revolta com ladrões e cerca muro com seringas contaminadas por HIV

Como sempre cito nesse blog, aqui neste país tropical, o ladrão é que tem razão.

Médica põe seringas que teriam sangue com HIV A exemplo do dono da casa que fez armadilha e matou o ladrão na cidade de Formosa-GO, pois já não mais aguentava ser assaltado e pelo mesmo meliante, uma médica de Sobradinho, a 22 km de Brasília resolveu tomar uma atitude drástica: Ela fixou seringas na grade de casa, e ainda “quebrou o galho” dos ladrões escrevendo em um cartaz: “Muro com sangue HIV positivo – não pule”.

Aí a reação veio de forma imediata. Não contra o ladrão, que  parece ter o direito ao “trabalho” garantido. A síndica do condomínio, Vera Barbieri, diz que neste sábado (20), a moradora foi oficialmente notificada. Ela tem cinco dias para retirar todo material senão será multada. Mas não disse que melhoraria a segurança no condomínio. Também a  Vigilância Sanitária disse que o condomínio deveria ser notificado”, falou Vera Barbieri.

O Conselho Regional de Medicina diz que ainda não recebeu denúncia do caso, mas condenou a atitude da médica. “Qualquer atitude que uma pessoa ou médico tome para tentar ferir um paciente, (ladrão e paciente?) ou tentar agredi-lo, deve ser condenada”, afirmou o primeiro-secretário do Conselho Regional de Medicina, Farid Buitrago. O CRM apenas condenou a atitude da médica, mas não a do ladrão, e não exigiu das autoridades mais segurança.

Buitrago disse que há risco de contaminação pelas seringas, mesmo que não seja de HIV. “Há o risco de infecções bacterianas, por exemplo. Por esse motivo, todo material cirúrgico deve descartado em recipientes adequados”, acrescentou o primeiro-secretário do conselho. Parentes e amigos não pulam muro para fazer cordiais visitas. Contaminadas ou não, seria muito bem feito que algum ladrão se espetasse nessas agulhas.

Não raro aparece políticos que andam rodeados de seguranças armados, com discurso defendendo o desarmamento da população, que já é um fato. E também esse demagógico estatuto da criança e do adolescente que acoberta criminosos ditos “menores”. Se eles (os “menores” tem percepção para cometer crimes, também tem a percepção que deverá pagar por eles). Mas até agora nenhum dos políticos levantou a bandeira para endurecer de vez o código penal, fazendo que os criminosos, independente de idade, conta bancária ou classe social pague por seus crimes.

Por: Eliseu, com informações do G1