sexta-feira, 2 de setembro de 2011

General assume Dnit

General Jorge Fraxe O governo deu posse nesta sexta-feira aos sete novos responsáveis pela diretoria colegiada do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes), inclusive os diretores geral e executivo. Nenhum dos indicados pela presidente Dilma Rousseff é funcionário de carreira do órgão.

Como diretor-geral, substituto de Luiz Antônio Pagot, a presidente indicou o general do exército Jorge Ernesto Pinto Fraxe. Na diretoria-executiva, no lugar de José Henrique Sadok de Sá, Tarcísio Gomes de Freitas, cordenador-geral de auditoria da área de transportes do CGU (Controladoria Geral da União).

Paulo de Tarso Campolina de Oliveira será diretor de administração e finanças; Roger da Silva Pêgas, diretor de infraestrutura rodoviária; José Florentino Caixeta, diretor de planejamento e pesquisa; Adão Magnus Marcondes Proença, diretor de infraestrutura aquaviária e Márcio Dirani, diretor de infraestrutura ferroviária.

Os funcionários do Dnit não estão satisfeitos com a nova diretoria. Ao contrário da recepção dos novos diretores, os mais aplaudidos pela platéia de funcionários foram os diretores substitutos, nomeados pelo ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes) -- o cargo de "substituto" foi criado em agosto deste ano, como forma de evitar a crise de gestão que houve no órgão, resultado das exonerações no Dnit.

Os funcionários do Dnit gostariam que os diretores fossem "da casa", como demonstração de prestígio e reconhecimento pelo trabalho do departamento.

Na cerimônia de posse, Fraxe iniciou seu discurso declarando seu "apreço" aos quadros do Dnit.

"Os integrantes do Dnit são o patrimônio mais importante da entidade", afirmou o general.

Ilustração Segundo ele, a função mais importante da diretoria será resgatar a imagem e a credibilidade do órgão perante a opinião pública. Fraxe ainda afirmou que a ocupação da diretoria do Dnit por um militar não significa a militarização do departamento.

"Caso contrário, a ocupação do ministério da Defesa por um civil (Celso Amorim) seria a desmilitarização do exército. O poder nacional é indivisível", disse.

Também na posse, o ministro Paulo Sérgio Passos agradeceu e reconheceu o trabalho dos ex-diretores do Dnit. Passos afirmou que o departamento alcançou o segundo melhor desempenho em 2011, com R$ 1,2 milhões em obras e serviços de engenharia -- ainda que no meio de uma crise.

"Vamos fazer um belo trabalho no ministério dos Transportes, com articulação e sintonia forte entre o comando do ministério e o Dnit. Como um primeiro passo, anuncio a contratação de cem novos engenheiros. Estou absolutamente convencido que trabalharemos com dedicação e compromisso, para escrevermos juntos uma história digna de registro e destaque", declarou Passos.

Por: Jornal Floripa