sábado, 10 de setembro de 2011

N.Y. se blinda para lembrar os 10 anos dos atentados

Torres Gêmeas no atentado de 11/9 A possibilidade de uma nova ameaça terrorista forçou Nova York a adotar extremas medidas de segurança para lembrar neste domingo o simbólico décimo aniversário dos atentados de 11/9, que terá a participação do ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e do atual governante do país, Barack Obama.

A importância em torno desta cerimônia não será apenas pelo rito de fechamento de uma década dos atentados que mataram cerca de 3 mil pessoas, mas porque será o primeiro sem Osama bin Laden com vida. O terrorista apontado como mentor da maior agressão já sofrida pelos Estados Unidos foi morto por um comando especial americano em maio passado.

A Polícia de Nova York já havia extremado as precauções pelo temor de uma tentativa de vingança pela morte do terrorista, mas a notícia de que a cidade está sob ameaça "real e específica", embora não "confirmada" de um atentado terrorista da Al Qaeda elevou as medidas de segurança na Grande Maçã.

"Esta foi uma informação pontual de um número muito específico de pessoas que estariam envolvidas nesse ataque. É a informação mais específica que recebi. Mas isso não significa que seja verdade", declarou neste sábado à rede de TV local "NY1" Peter King, presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara de Representantes dos EUA.

A partir deste sábado, a Polícia mantém fechadas algumas ruas do entorno do local onde ficava o World Trade Center, entre elas West Street, Barclay e Murray.

Desde as 6h (de Brasília) deste domingo os fechamentos serão ampliados para mais dez avenidas contíguas à região do "marco zero".

Enquanto durar a cerimônia, que começa anualmente com um minuto de silêncio às 8h46 no horário local (9h46 de Brasília), hora em que o primeiro avião atingiu as Torres Gêmeas, as estações de metrô próximas à região de Cortland Street e World Trade Center permanecerão fechadas.

As fortes medidas de segurança iniciadas para o mais simbólico dos aniversários dos atentados que mudaram o rumo da história recente até agora também levaram à exaustiva revisão de veículos.

Os principais carros inspecionados são caminhonetes e caminhões, porque existe o temor de a ameaça ocorra a partir de um carro-bomba como o que foi interceptado na Times Square em maio de 2010.

Os congestionamentos já começaram a ser notados na sexta-feira e continuavam neste sábado, faltando um dia para o aniversário dos atentados, em pontes como a George Washington, que liga Nova York ao estado de Nova Jersey, e a Verrazano-Narrows, que une a ilha de Staten Island ao bairro do Brooklyn, devido às exaustivas inspeções de veículos feitas pela Polícia.

As autoridades nova-iorquinas também reforçaram as revisões na maior rede de transporte público do país, onde cães farejadores e agentes vistoriam bagagens e pacotes suspeitos, principalmente nas estações de maior movimento, enquanto pedem a todos os passageiros que mantenham alerta: "se virem algo, procurem as autoridades na mesma hora".

Com as medidas de segurança reforçadas, incluindo a retirada de todas as lixeiras públicas do World Trade Center, Nova York se transformou neste sábado em uma espécie de fortaleza para tentar evitar que neste domingo não ocorra nenhum contratempo na homenagem às vítimas do dia 11 de setembro de 2001.

Pela primeira vez nestes dez anos desde aquele fatídico setembro, a cerimônia será realizada a partir do próprio "marco zero", com participação de figuras políticas da época e atuais unidas aos familiares das vítimas dos atentados no memorial de 11/9, que vai ser inaugurado coincidindo com o 10º aniversário.

Além de o ex-presidente Bush e Obama estarão presentes o prefeito e governador de Nova York, Rudolph Giuliani e George Pataki, assim como os atuais responsáveis pela cidade e o estado, Michael Bloomberg e Andrew Cuomo.

Os nomes dos mortos nos atentados nas Torres Gêmeas, tanto em 1993 (por um carro-bomba estacionado na garagem) quanto em 2001, assim como os dos mortos no ataque ao Pentágono e no avião que caiu na Pensilvânia, estão inscritos em painéis de bronze que estão no entorno das duas fontes que ficam exatamente onde eram as Torres Gêmeas.

Enquanto isso neste sábado já eram prestadas homenagens aos 40 heróis do voo 93 que caiu em uma região rural da Pensilvânia, que enfrentaram os terroristas e evitaram que este avião colidisse contra a Casa Branca ou o Capitólio, como os terroristas haviam planejado.

Por: Terra