quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A ingerência da Fifa

Já a algum tempo vem se discutindo com a Fifa assuntos que nem deveriam entrar em pauta. Assuntos esses que são Leis Brasileiras, e portanto não tem que ser discutidos e sim cumpridos, como o caso da meia-entrada.

Agora aparece mais um “salvador da pátria” o Sr. Ricardo Teixeira, todo poderoso da CBF, que resolveu dar as caras e dizer que vai tentar convencer a entidade a permitir as meias-entradas durante a Copa do Mundo de 2014, numa clara ingerência sobre leis que estão em vigor no País, como se estivesse tratando com uma “republiqueta de bananas”. Já a presidente Dilma Rousseff afirmou que não recuará neste assunto.

Após uma reunião com representantes da Fifa nesta segunda-feira, em Bruxelas, na Bélgica, a presidente Dilma Rousseff e o ministro do Esporte, Orlando Silva, se dispuseram a rever alguns pontos da Lei Geral da Copa que divergem da proposta pedida pela entidade.

No entanto, Dilma declarou ser impossível negar a concessão de meia-entrada para idosos, pois o direito é assegurado pelo Estatuto do Idoso. Antes do encontro, a presidente Dilma Rousseff tinha declarado que pretendia resistir à pressão da entidade e não recuar na decisão de permitir a meia-entrada nos jogos da Copa do Mundo-2014.

Por que a Fifa está insatisfeita com o texto da Lei Geral da Copa?
Bancada por seus parceiros, a Fifa não quer que nenhum ponto da lei contraponha os interesses dessas empresas, que lucram e expõem suas marcas durante o Mundial. Um dos principais itens não contemplados na lei e que não satisfazem a Fifa é a venda de bebidas alcoólicas nos estádios. A entidade, que tem como parceira uma empresa produtora de cerveja, quer que o governo libere a entrada e a venda de bebida nas arenas.

As informações são da Folha.

Por: Eliseu