sábado, 15 de outubro de 2011

Lixo hospitalar dos EUA vira roupa no Brasil

lixohospitalar3_suape300x22Quando penso já ter visto de tudo pelo menos em matéria de pilantragens como venda de terreno na Lua, lotes no Céu, o velho e eficiente golpe do bilhete premiado e todo tipo de mutretas, uma notícia publicada no portal Terra com o título “PE: loja vendia tecidos feitos com lixo hospitalar dos EUA” me deixa surpreso e indignado.

Por esses dias vi no noticiário que a Receita Federal em conjunto com a Polícia Federal havia apreendido um container com lixo hospitalar vindo dos Estados unidos, imaginei que se tratasse de descarte ilegal de material, apesar de ter estranhado vir de tão longe. O custo do transporte não deve ser baixo. Mas agora fica claro o porque da encomenda: Lixo hospitalar que vira roupa!

De acordo com o Terra, após uma fiscalização de surpresa, agentes da Vigilância Sanitária e do Ibama fecharam uma loja de tecidos em Santa Cruz do Capibaribe, a 146 km do Recife. O estabelecimento vendia lençóis e jalecos feitos com material hospitalar que teriam vindo da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Na visita, os agentes acharam lençóis sujos, com manchas de sangue. Nesta semana, a Receita Federal apreendeu 46 t de lençóis sujos e material de uso hospitalar no porto de Suape, região metropolitana de Recife. Toda a carga era importada pela loja, que faz parte do Polo Têxtil de Pernambuco. As informações são do Jornal Hoje.

A loja vendia tecidos para fazer panos de chão e para forros de bolsos de roupas. Os fiscais também encontraram à venda, com desconto, roupas de cama que podem ter sido descartadas por hospitais americanos, e algumas peças com inscrições em inglês, como jalecos usados com o nome de médicos e enfermeiros americanos. Os fiscais recolheram amostras dos tecidos para saber o tipo de contaminação existente nos lençóis. "O que foi comprovado é que realmente existem resíduos do lixo hospitalar", disse o agente do Ibama Gustavo Moreira. O dono da loja, que compra tecidos da empresa há muitos anos, ficou assustado ao saber da notícia. Ele tem 48 horas para apresentar sua defesa. A multa por importação ilegal pode chegar a quase R$ 2 milhões.

Agora resta saber se a multa vai ser mesmo aplicada e cobrada, e se haverá investigação para descobrir mais pilantras que estão brincando com a saúde do brasileiro e puní-los, que infelizmente estou duvidando. O brasil precisa parar de “correr atrás” e passar a “correr na frente” da criminalidade, incluindo aí os políticos, fiscais e outros funcionários públicos corruptos, para estancar o roubo do dinheiro público e evitar que acontecimentos como esse e outros tão graves como os bueiros explosivos do Rio, o restaurante que usava gás de maneira irregular e explodiu como se tivesse sido atingido por um carro bomba, e tantos outros que o espaço não comporta continuem acontecendo.

Por: Eliseu