domingo, 27 de novembro de 2011

Kassab diz que sua administração é a mais correta. Mas tem bens bloqueados

jt11_controlarO prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab no alto de sua incompetência e corrupção, vem dizer estar “magoado” e que “não há 'sacanagem' em inspeção veicular ambiental”.

Pode não haver sacanagem para Kassab e seus asseclas que estão mamando nas generosas tetas do governo, mas para o contribuinte a sacanagem é grande. Para o MPE, a Prefeitura impôs ilegalmente multas a donos de veículos “em afronta” ao Código de Trânsito. O aditivo desrespeitou prazos de investimentos na criação pela Controlar de centros de inspeção. Garantiu à empresa remuneração da Prefeitura, que bancou a gratuidade da inspeção em 2008, contrariando a licitação que não previa encargos ao Tesouro. Também fixou tarifa além do valor justo (hoje é R$ 61,98 quando deveria ser R$ 41,87). A diferença permitiu “lucros exorbitantes” e enriquecimento ilícito.

Segundo o portal de notícias Terra, após uma viagem de sete dias a Paris e Londres, o prefeito Gilberto Kassab negou irregularidades no contrato assinado com a empresa Controlar, responsável pela inspeção veicular ambiental na capital paulista. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Kassab disse que não há nenhuma "sacanagem" no serviço, e que apenas "ressuscitou" um contrato assinado na década de 1990, sem realizar licitação, porque a empresa tinha direito a ele.

"Era direito dela. Se pudesse, não sou tonto, lógico que teria feito (licitação). A gente queria o programa, é um direito da empresa. Se não, a gente faria (nova licitação). Não tem nenhuma sacanagem. Tudo foi feito com transparência, com seriedade. A empresa está trabalhando bem", afirmou Kassab, dizendo-se magoado e entristecido pelo bloqueio de seus bens e o pedido de afastamento do cargo feito pelo Ministério Público Estadual. "Eu não admito que pensem mal de mim. Se existe uma administração correta é a nossa", disse.

Para ter o direito de não admitir “pensar mal”, primeiro tem que demonstrar seriedade, fato que verificando rapidamente o histórico, está longe do Sr. Gilberto Kassab, e da maioria dos políticos brasileiros, infelizmente.

Fato é que foram bloqueados os bens do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), do secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge Martins Sobrinho, e das empresas Controlar e CCR. Pelo menos até os advogados acharem uma brecha em nossa ultrapassada legislação e voltar a ser tudo como antes.

Por: Eliseu