domingo, 26 de fevereiro de 2012

Lula matou dona da Daslu, diz Boris Casoy

Muitas barbaridades e sandices já foram proferidas por Boris Casoy em seus longos anos na televisão brasileira. Entretanto, nessa sexta-feira (24) passou de todos os limites. O ancora do Jornal da Band  acusou o governo Lula de ter contribuído para o câncer e morte da dona da Daslu, a contrabandista Eliana Tranchesi.

A empresária traficante e sonegadora de impostos morreu na madrugada desta sexta-feira (24), em São Paulo. Faleceu em função de complicações causadas por um câncer no pulmão. Em 2009, Eliana foi condenada a 94 anos e seis meses de prisão pelos crimes de formação de quadrilha, fraude em importações e falsificação de documentos. Logo depois, como era rica (condição indispensável à justiça brasileira), ela obteve o habeas corpus e foi solta, conforme informações do Vermelho.
Inacreditável, mas na edição desta sexta-feira, o apresentador da Band, depois de relatar a prisão da empresária por contrabando, executada pela Polícia Federal, fez a seguinte acusação: “Eliana foi exposta à execração pública e humilhada, o que deve ter contribuído e muito para o câncer que a matou”. Tadinha!
De tão ridículas as frases pronunciadas pelo apresentador, que a cena não poderia terminar de outra forma. Casoy deu um tremendo espirro e se justificou: “É humano”. Será que nesse caso, proferir calúnias absurdas numa TV que é concessão pública é apenas um erro humano, ou precisa de uma regulamentação da comunicação para ser enquadrado como crime?

E pelo jeito Boris Casoy defende que os criminosos ricos não sejam punidos, pois poderão desenvolver câncer.

Por: Eliseu