sábado, 25 de fevereiro de 2012

Serra diz que participará das prévias do PSDB

José-Serra1José Serra, o tucano mais mentiroso dentre todos os tucanos, conhecido por nunca cumprir o que diz, e afilhado do corno manso com certificado e tudo, maconheiro e rei da privataria Fernando Henrique Cardoso, o FHC, após afirmar várias vezes que não seria candidato à prefeitura de São Paulo, como já era de se esperar voltou atrás.

Segundo informações do integrante do PIG jornal Folha de S. Paulo, Serra se reuniu com os quadrilheiros Geraldo Alckmin, governador tucano de São Paulo e o prefeito Gilberto Kassab (PSD), e decidiu entrar na disputa para a prefeitura de São Paulo.

Conforme publicação da CartaCapital, com prévias marcadas para o dia 4 de março, no entanto, José Serra afirmou que não quer cancelar o processo interno do partido e deve disputar com os outros quatro candidatos tucanos os secretários estaduais de Cultura, Andrea Matarazzo, Meio Ambiente, Bruno Covas, e Energia, José Aníbal, e o deputado federal Ricardo Tripoli. O mais provável é que o processo seja adiado, para que Serra tenha tempo de se inserir.

O rejeitado tucano havia dito que não seria candidato a prefeitura de São Paulo em 2012, mas nas últimas semanas ensaiou uma mudança de estratégia. Kassab já anunciou que deve firmar parceria com Serra, seu padrinho político na capital.

Mas Serra teme que uma aliança com o PSD feche as portas com o DEM, com quem articula o apoio a uma chapa puro-sangue tucana. Em entrevista a CartaCapital na quinta-feira, o cientista político Celso Roma afirmou que, ao entrar na disputa, Serra terá de convencer a população de que cumprirá os quatro anos de mandato e que não usará o cargo como plataforma para concorrer ao governo do estado, como fez em 2006 ou mesmo ao governo federal.

Roma também adiantou que o cancelamento das prévias partidárias geraria um descontentamento nas bases do PSDB. Segundo ele, a consulta serviria como incentivo à filiação e atrairia os filiados para dentro do partido que, desde 1988, vê apenas os líderes tomarem decisões. O ex-governador terá apoio de Alckmin e Kassab, polarizando as administrações estadual e municipal com a federal.

A população de São Paulo já teve tempo mais que suficiente para avaliar a administração dessa quadrilha de bandidos, que trata o povo como no caso Pinheirinho, Cracolândia, o Metrô de Higienópolis, etc.

Mas como disse um francês no século XIX, “cada povo tem o governo que merece”.

Por: Eliseu