quarta-feira, 14 de março de 2012

Contradição na saúde do Hospital das Clínicas de Vitória

Hospital das ClínicasO Hospital Universitário Cassiano Antonio de Moraes (Hucam), mais conhecido como Hospital das Clínicas, em Vitória, é sem dúvida um dos maiores e melhores complexos hospitalares do Espírito Santo. Sua excelência em tratamentos nas mais variadas especialidades médicas, com um corpo médico e de enfermagem de alto nível é facilmente constatado em qualquer conversa sobre o assunto com capixabas de diversos níveis, seja cultural, financeiro ou o que for. E nem podia ser diferente visto se tratar de um Hospital Escola, ligado à conceituada Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Mas, sem trocadilho, existe um lado negro, sinistro, dentro daquele Hospital: o setor de atendimento da Oftalmologia, a “Casa 4”, que com sua desorganização contrasta com o ótimo atendimento feito pelos profissionais médicos, enfermeiros e afins, deixando formar filas absurdas, que desrespeitam, ferem a dignidade humana. Ainda mais de quem se encontra normalmente fragilizado por alguma enfermidade.Hucam

Hoje (14), esse blogueiro que conhece bem aquele hospital ficou estarrecido com o tamanho da fila e a balbúrdia que se encontrava no referido setor. Não cheguei a contar, mesmo porque era praticamente impossível, mas seguramente tinha mais de duzentas pessoas serpenteando por uma enorme e desorganizada fila. Eram idosos, gestantes, mulheres com criança de colo, deficientes, evidentemente em sua maioria enfermas conforme se pode ver na imagens, com apenas um guichê atendendo enquanto o outro (só tem dois) estava completamente vazio com a funcionária confortavelmente refestelada em sua cadeira. Assim que comecei a fotografar, “milagrosamente” o tal guichê passou a atender; um arrogante segurança (pelo menos estava com uma camisa com essa inscrição) se arvorou da função de informante, mas nada informava porque não sabia, e nem deixava as pessoas se aproximarem do guichê para se informarem colocando-se ostensivamente à frente do paciente e tratando as pessoas com rispidez, em vez de fazer sua obrigação, que seria organizar a “bendita” fila. A chefia do setor quando foi solicitada não atendeu, ou melhor, nem foi chamada, como se fossem semi-deuses e não funcionários públicos pagos pelo contribuinte e com dever de atender, e bem, a quem os procura para tentar a melhor forma de resolver os problemas.Hucam

Conforme pude apurar, a especialidade de Retinologia para Laser estaria sendo marcado hoje, e a próxima marcação seria apenas em junho em dia ainda não confirmado. Três meses para quem pode estar prestes a perder a visão é tempo demasiado.

Deve-se ressaltar que o grave problema de mau atendimento na Oftalmologia, que também atende outras especialidades médicas, a “Casa 4”, é de conhecimento público com várias reportagens publicadas na mídia local, é crônico e não um caso pontual e se concentra apenas nas atendentes da recepção, se assim puder ser chamado aquilo, constrastando com o atendimento médico, de enfermagem e afins com profissionais altamente qualificados e reconhecidos nacionalmente, educados no trato com os pacientes como deve ser. Conta com equipamentos sofisticados para procedimentos de alto nível como laser, que tem evitado que milhares de pessoas percam a visão, sem contar o avançado Banco de Olhos que dispõe dos melhores e mais gabaritadosHucam profissionais também com reconhecimento nacional inquestionável, também com equipamentos sofisticados, que fazem transplantes de córnea livrando outras milhares de pessoas da temível e terrível cegueira, o que diante do caos na saúde pública brasileira em geral é mais do que louvável.

Mas voltando ao atendimento, ou melhor, mau atendimento na recepção da “Casa 4”, vai a sugestão, como contribuinte que sou: A diretoria do Hospital deveria chamar “às falas” a chefia do atendimento daquele setor (Casa 4) para que se explique e tome atitudes que possam minimizar o problema e tratar as pessoas com mais respeito e dignidade, que é o que se espera quando se procura atendimento seja onde for. Por exemplo, colocar os dois guichês disponíveis atendendo, abrir mais guichês, etc. E uma vez que que sabemos a dificuldade enfrentada pelos gestores públicos em em demitir maus funcionários, lembramos que os mesmos sempre podem ser remanejados para outros setores e funções, como a faxina, coleta de materiais contaminados, jardinagem, etc, que são serviços tão dignos quanto qualquer outro, e retiram essas pessoas do convívio com os cidadãos que procuram atendimento no Hospital.

Por: Eliseu

Para ampliar as fotos, clique nas mesmas.
Essa matéria está sendo publicada simultaneamente no blog O Capixaba News, também de minha propriedade.
Lembrando que este blogueiro (Eliseu), não reivindica direitos autorais. Portanto, qualquer matéria de sua autoria publicada aqui e no O Capixaba News podem ser copiadas e reproduzidas por qualquer meio legal de divulgação, solicitando apenas informar o autor.