sexta-feira, 16 de março de 2012

Incêndios em Favelas de SP e desapropriação: coincidência?

incêndio - favelaJá faz algum tempo venho estranhando os incêndios que acontecem nas favelas de São Paulo, e logo a seguir vem a desapropriação. Também é sabido publicamente que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab tem grandes interesses imobiliários.

Mais uma vez acontece um incêndio acompanhado da “estranha” coincidência de logo após  a prefeitura pressionar os moradores a deixar o local. Foi em fevereiro, na Favela do Coruja no bairro Vila Guilherme, e cerca de 60 famílias atingidas continuam sem ter onde morar. Parte dessas famílias está abrigada em igrejas da região. A administração do burguês higienista Gilberto Kassab pretende desalojar outras 40 para construir uma avenida no local, de acordo com a Rede Brasil Atual.

Ainda de acordo com o portal de notícias, a prefeitura oferece aos moradores auxílio inicial de RS 1.200 e a inscrição no programa Parceria Social, com o ínfimo valor de auxílio moradia de R$ 300 por 30 meses, que podem ser renovados. Esse valor não dá para pagar aluguel numa pequena cidade, quanto mais na capital paulista. Outra curiosidade é que no vídeo, parece não haver um grande interesse no combate às chamas. Não aparece nas imagens aquele grande aparato de bombeiros comuns em incêndios similares.

A líder comunitária Heleneir Pereira de Jesus, afirma que os moradores foram pressionados pela prefeitura a assinar o acordo. As famílias consideram o auxílio insuficiente e exigem a elaboração de uma política pública de moradia em São Paulo.

Em reunião com os moradores no início da semana para tratar da questão da moradia das famílias atingidas pelo incêndio na Favela do Coruja, a diretora da Habi Norte, Maria Cecília Sampaio, afirmou que "para ser cidadão em São Paulo, tem de pagar."

Seria de bom tom que as autoridades federais investigassem rigorosamente a real fonte desses incêndios, visto que o governo do Estado sob o comando do tucano Geraldo Alckmin é suspeito, pois também tem a política higienista de expulsar moradores de favelas, como foi no ruidoso e violento caso do Pinheirinho.

Afinal estamos vivendo em tempos democráticos, e não os saudosos tempos de Mr. Dops, que ainda infelizmente conta com muitos adeptos.

Por: Eliseu