terça-feira, 13 de março de 2012

Próxima investida dos tucanos em SP: Favela Flamenguinho

Há três episódios recentes da política estadual paulista que ilustram bem a serviço de que interesses pulsa o governo do Estado e para que serve a Polícia Militar: primeiro foi a invasão da Universidade de São Paulo e a consequente prisão de dezenas de estudantes, num melancólico episódio de força desmedida. Depois, veio a malfadada ação contra os dependentes de droga da Cracolândia, em que os doentes foram tratados como criminosos pelo Estado. E, mais recentemente, o choque de horror produzido pela tropa da PM para desalojar mais de 6.000 pessoas do bairro do Pinheirinho, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba – vale lembrar que a ação foi urdida de maneira furtiva e rápida, pois as partes negociavam com o governo federal quando uma reintegração de posse foi dada pelo juiz Rodrigo Capez, irmão do deputado federal Fernando Capez, do PSDB, a pedido da massa falida da empresa Selecta, do doleiro Naji Nahas.

Insatisfeitos com essas investidas estapafúrdias, o governo e a Justiça se aliam novamente para retirar do bairro do Flamenguinho, em Osasco, na divisa com Barueri, 600 famílias que ali moram há mais de 40 anos. Levada a efeito, a decisão será lamentável. Da mesma forma como se lamentam as investidas estaduais – em conluio com a CCR Via Oeste, empresa que monopoliza o pedágio – contra o acesso livre à rodovia Castelo Branco, na passagem do Jardim Mutinga.

Por fim, no mês do aniversário de Barueri, a Prefeitura nos brinda com uma boa notícia, a da prorrogação da Lei de Anis tia, pela qual os cidadãos podem regularizar seus imóveis até junho. Pena é que, no geral, a sensação seja de que a cidade está abandonada. Basta olhar com atenção o que se passa, por exemplo, no Jardim Imperial. Uma tristeza!

No; Rede Brasil Atual