domingo, 25 de março de 2012

Serra é pré candidato dos tucanos em SP

serraO ex-governador de São Paulo José Serra venceu a prévia realizada pelo PSDB neste domingo e é o pré-candidato do partido à Prefeitura paulistana na eleição de outubro deste ano.

Serra, candidato a presidente derrotado em 2002 e 2010 e que já governou a cidade, ficou com 52,1 dos votos e derrotou o secretário de Energia do Estado, José Aníbal (31,2 por cento), e o deputado federal Ricardo Tripoli (16,7 por cento).

As prévias haviam sido marcadas para 4 de março, mas a entrada de Serra na disputa, poucos dias antes, fez com que o partido optasse pelo adiamento. Logo após o anúncio do ex-governador de que seria pré-candidato, dois dos quatro postulantes, os secretários estaduais Bruno Covas (Meio Ambiente) e Andrea Matarazzo (Cultura) desistiram de participar das prévias para apoiar Serra.

A desistência foi patrocinada pelo atual governador, Geraldo Alckmin, principal artífice da entrada de Serra, que até fevereiro dizia não ter interesse na candidatura tucana à Prefeitura, na disputa. Apesar de ser favorável às prévias por considerá-las saudáveis para o PSDB, Alckmin atuou para acalmar os demais candidatos e parte da militância contrária ao nome do ex-governador.

Prefeito de São Paulo eleito em 2004, cargo ao qual renunciou em 2006 para disputar e vencer a eleição para governador, Serra é visto como um dos possíveis nomes do PSDB para a eleição presidencial de 2014, junto com o senador por Minas Gerais, Aécio Neves, apontado como postulante tucano mais provável.

Nas últimas semanas, Serra tem sido obrigado a responder a críticas de adversários, principalmente do pré-candidato do PT, Fernando Haddad, sobre sua decisão de renunciar à Prefeitura em 2006, após assumir o compromisso de não deixar o posto para disputar outro cargo na eleição daquele ano.

Apesar da pré-candidatura ao comando da maior cidade do país, Serra tem tratado publicamente de temas nacionais, especialmente em artigos publicados em grandes jornais nos quais faz críticas à administração da presidente Dilma Rousseff. Sua entrada na disputa, portanto, dá à eleição municipal em São Paulo um caráter nacional.

Segundo pesquisa do instituto Datafolha, divulgada no início do mês e após o anúncio de Serra de que entraria na disputa para ser o candidato tucano à prefeitura, o ex-governador lidera em todos os cenários em que aparece.

No cenário com maior número de candidatos, Serra aparece com 30 por cento das intenções de votos, contra 19 por cento de seu adversário mais próximo, Celso Russomano (PRB). Candidatos de dois outros partidos com grandes bancadas federais e, portanto, bastante tempo de campanha na TV, Gabriel Chalita (PMDB) soma 7 por cento, e Haddad (PT), 3 por cento.

Além de Serra, Russomano, Chalita e Haddad, outros nomes que aparecem com mais de 1 por cento de intenções de voto no levantamento do Datafolha são os do vereador Netinho de Paula (PCdoB), do deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT), e da ex-vereadora Soninha Francine (PPS).

Os partidos têm até o final de junho para realizarem convenções que definirão seus candidatos a prefeito e o estabelecimento de coligações. A propaganda eleitoral no rádio e na TV tem início marcado para o final de agosto, e o primeiro turno acontecerá no dia 7 de outubro.

Por: Reuters