segunda-feira, 30 de abril de 2012

ONU condena morte de jornalista no Brasil

O escritório do Alto Comissário de Direitos Humanos da ONU condenou nesta sexta-feira o assassinato do jornalista Décio Sá, ocorrido no último dia 23 no Maranhão.

decio_saO organismo chamou de “tendência perturbante” o fato de mais um jornalista ter sido morto. Sá foi o quarto profissional de imprensa assassinado no país em menos de quatro meses.

“Nós condenamos esse assassinato e e estamos preocupados com o que parece ser uma tendência perturbante de mortes de jornalistas, que está prejudicando o exercício da livre expressão no Brasil”, disse o porta-voz do escritório, Rupert Colville.

A ONU elogiou a disposição das autoridades brasileiras para investigar a morte de Sá e crimes semelhantes.

Contudo, a entidade solicitou que medidas de proteção sejam adotadas imediatamente para evitar novos crimes do gênero.

Para isso, a ONU apoiou a aprovação de uma lei proposta no Congresso em 2011 para fazer com que todas as mortes de jornalistas sejam investigadas pela Polícia Federal e não pelas polícias estaduais.

Investigação

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão convocou nesta sexta-feira uma entrevista para comunicar que a investigação sobre a morte de Sá passa a ser feita agora sob sigilo.

O órgão afirmou que dois suspeitos detidos na quinta-feira tiveram prisão temporária decretada. O governo não explicou, porém, qual teria sido sua participação no crime e quais indícios pesam contra eles.

No: BBC Brasil