sexta-feira, 11 de maio de 2012

Alckmin insiste em retirar leitos do SUS

Geraldo_Alckmin_Os tucanos elitistas perderam mais um round na briga para reserva de leitos públicos para planos de saúde em São Paulo.

Ontem, resolução do Conselho Nacional de Saúde pede à Justiça de São Paulo que considere ilegal lei estadual que reserva 25% dos leitos dos  hospitais públicos, administrados por organizações sociais, a usuários de planos de saúde. Na próxima terça-feira (15), o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) irá julgar mérito de recurso apresentado pelo governo de São Paulo para manutenção da lei, contestada pelo Ministério Público estadual na justiça. Nas primeira e segunda instâncias, os juízes concederam liminares suspendendo os efeitos do decreto.

Isso mesmo, os tucanos querem reservar 25% dos já insuficientes leitos de hospitais públicos para atender a planos de saúde. Mas, como informa a Agência Brasil, para o conselheiro Jorge Venâncio, os pacientes irão aguardar ainda mais tempo por atendimento na rede pública se o decreto vigorar. Atualmente, a espera por uma consulta básica na cidade de São Paulo já é demorada demais, em média de 4 meses, e para serviço especializado, cerca de 1 ano, conforme o conselheiro.

O conselho argumenta ainda que a lei favorece a prática de “dupla porta” de entrada, “selecionando beneficiários de planos de saúde privados para atendimento nos hospitais públicos, promovendo, assim, a institucionalização da atenção diferenciada com preferência na marcação e no agendamento de consultas, exames e internação e melhor conforto de hotelaria”.

A lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo e regulamentada por decreto assinado pelo governador Geraldo Alckmin, em julho do ano passado.

Um ano pode ser tarde demais para quem tem uma doença grave, e os tucanos querem aumentar esse tempo, beneficiando os que podem pagar. E mesmo assim já vai fazer duas décadas que São Paulo é governada por esse bando de canalhas. E pelo voto livre!

Por: Eliseu