sábado, 19 de maio de 2012

E tome maconha!

1131Além da crise política por que passa o Brasil desde seu descobrimento por puro acaso do mau navegador Pedro Alvares Cabral que se perdeu no caminho para as Índias onde iria comprar pimenta e outros temperos para o rei de Portugal, o péssimo navegador num golpe de sorte para ele e azar para nós, acabou dando os costados lá pelos lados da Bahia, conseguindo assim salvar seu precioso pescoço, e ainda sair como herói nessa história.

Mas divagações à parte, o que pretendemos tratar aqui é outra praga tão ou mais perniciosa que nossa política e que vem destruindo principalmente os jovens, levando de roldão familiares, amigos, e também quem nada tem a ver com isso. São as drogas. O uso e consequente tráfico, uma vez que sem um não haveria o outro. O mesmo caso do ovo e da galinha.

Mais uma vez vemos estampadas nos jornais a “marcha da maconha” que em São Paulo partiu do Museu de Arte de São Paulo (Masp), seguindo pelas principais avenidas da cidade até a praça da República. Segundo a Polícia Militar, a passeata reuniu cerca de 2 mil pessoas. Os manifestantes pediram nova política de drogas para o país.

A legalização do consumo da maconha é defendida pelos manifestantes sob diversos argumentos. O professor de história da Universidade de São Paulo (USP) Henrique Carneiro atribui a proibição, em parte, a um preconceito de setores da sociedade. “Há um percentual da população que quer simplesmente exterminar o consumidor”, disse, ao comparar o sentimento ao preconceito sofrido pelos homossexuais. Ora, ter uma orientação sexual não pode ser comparado a um “noiado”! Até o ex-presidente tucano, o burguês Fernando Henrique Cardoso defende o uso e tráfico. E parece ser chegado numa “marijuana”.

Hoje no Brasil cerca de 90% das ocorrências policiais tem como pano de fundo a droga. E a maconha é só o ponto de entrada nesse submundo obscuro e hostil, que infelizmente pouquíssimas pessoas conseguem se livrar.

Os malefícios do uso da droga são tão grande que fica difícil enumera todos. Mas passa pelo alto índice de criminalidade com os mais diversos tipos de crime: assalto, furto, estupros, agressões diversas, inclusive aos pais e mais uma infinidade de loucuras, sem citar a saúde que acaba debilitada e o usuário não raro recorrendo ao SUS, que é mantido por todos nós.

E para os que defendem essa praga, fica o desafio para qualquer um, embasado em fatos científicos, conteste o que foi escrito aqui. Que a droga é benéfica, a não ser se usada para fabricação de medicamentos em laboratório farmacêutico regular e utilizadas sob rigoroso controle médico.

Ou para os traficantes!

Por: Eliseu