terça-feira, 8 de maio de 2012

Fábio Barbosa com um pé fora do Grupo Abril

Rumor de demissão do presidente do Grupo Abril circula entre empresários; procurada por 247, assessoria de imprensa da editora da revista Veja não fez desmentido; manifestantes tomam frente do Novo Edifício Abril para protestar contra postura de não dar explicações sobre relações da revista com Carlinhos Cachoeira

Revista_veja247 – Agastado com o posicionamento do Grupo Abril frente as relações da revista Veja com o contraventor Carlinhos Cachoeira, o presidente executivo Fabio Barbosa já comunicou a amigos empresários a sua decisão de se afastar do cargo. Ex-Santander e Real, ele assumiu o comando da Abril em agosto do ano passado, numa contratação saudada pelo mercado como um choque de ética dentro da corporação. A gota d’água para a decisão de Barbosa de deixar o Grupo teria sido a reportagem veiculada pela Rede Record, no programa Domingo Espetacular, com grampos em que Cachoeira e o ex-diretor da Delta Engenharia, Claudio Abreu, dialogavam sobre o modo pelo qual manipulavam as informações levadas até o jornalista Policarpo Junior e comemoravam a maneira pela qual ele as aproveitava.

A reportagem do Domingo Espetacular irritou especialmente o governo, que se sentiu ludibriado pela maneira pela qual a revista apresentou a reportagem que levou à demissão da cúpula do Ministério dos Transportes, no ano passado. Fontes do Palácio do Planalto alegaram que, se soubessem que a fonte das denúncias era uma das partes interessadas no rompimento dos contratos - no caso, a Delta Engenharia e o próprio Cachoeira –,  a solução adotada pela presidente Dilma Rousseff poderia ter sido outra ou, ao menos, com outro timming. Essas críticas foram transmitidas a Barbosa, o que somou para a sua decisão de pedir afastamento do cargo. Ele não encontrou respaldo no presidente do Conselho de Administração da Abril, Roberto Civita, para fazer Veja deixar de se omitir no caso e publicar uma posição formal sobre os fatos que estão desgastando a imagem da publicação junto aos leitores. Nesta terça-feira 8, um grupo de manifestantes aglomerou-se diante do NEA - o Novo Edifício Abril -, em São Paulo, para protestar contra a posição da publicação de negar-se a prestar esclarecimentos públicos sobre o relacionamento com Carlinhos Cachoeira.

Barbosa igualmente não teria ficado satisfeito com a reengenharia praticada, na direção de Veja, pelo diretor de redação Eurípedes Alcântara, no final do ano passado. Depois de demitir, por carta, em e-mail endereçado à redação, redator-chefe Mario Sabino, Alcântara teria concordado com as ponderações de Barbosa de agregar o atual correspondente da revista em Nova York, André Petry, à redação em São Paulo, no posto de redator-chefe. O acordo, porém, não foi cumprido pelo jornalista, que resolveu pulverizar o poder do segundo cargo mais importante da publicação, ao nomear três redatores-chefes, entre eles Policarpo Junior. A postura do presidente do Conselho de Administração da Abril, Roberto Civita, de aceitar esses movimentos sem impor uma ordem mais firme, igualmente ajudou Barbosa a entender que ele, advindo de bancos nos quais a disciplina funcional é rígida, estaria no lugar errado, na hora errada. Procurada por 247 às 13h50, a assessoria de imprensa da área institucional do Grupo Abril, agência Linhas, não desmentiu nem confirmou a informação do afastamento, contribuindo para o aumento dos rumores neste sentido.

No: Brasil 247