terça-feira, 17 de julho de 2012

Alckmin quer implantar pedágio total nas estradas de São Paulo

No Rede Brasil Atual 

Novo sistema eletrônico, já em teste, vai atingir todos os usuários das rodovias privatizadas, mesmo os que só circulam em trechos urbanos

pedagioReportagem publicada ontem (16) no jornal Folha de S. Paulo informa que o governo tucano de São Paulo pretende implantar até 2014 um sistema de pedagiamento total nas rodovias privatizadas do estado.

Se a medida for implantada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), os paulistas pagarão a pagar por trecho rodado em estradas como Anchieta, Imigrantes, Anhanguera, Bandeirantes, Castelo Branco, Aírton Senna e Raposo Tavares, entre muitas outras, inclusive nos deslocamentos urbanos entre cidades vizinhas ou entre pontos de uma mesma cidade.

A Artesp (agência responsável pelas rodovias privatizadas em São Paulo) já vem fazendo testes na SP-75, que liga Indaiatuba a Campinas. O sistema prevê instalação de chips em todos os carros e de pórticos ao longo das estradas, que fariam a leitura do chip. Na SP-75, foi colocado um pórtico a cada 8 km.

Ainda de acordo com a matéria da Folha, estima-se que 10% dos usuários das rodovias pagam pedágios hoje. A Artesp argumenta que a cobrança fatiada aliviará a carga desses motoristas, tornando o sistema “mais democrático”. O problema é que os demais 90% usam as estradas apenas em trechos urbanos, para cobrir pequenas distâncias e fugir do trânsito local. 

Em entrevista ao jornal, a diretora-geral da Artesp, Karla Bertocco Trindade, reconheceu que esse é “o ponto crítico” do projeto, mas deixou claro que, no que depender da agência, não haverá retorno. “A questão é: usou, pagou.”