segunda-feira, 30 de julho de 2012

Veja e Cachoeira, sempre juntos!

Suposto dossiê de Veja foi usado em chantagem para soltar Cachoeira, diz juiz

Veja-CachoeiraMais uma vez, o nome da revista Veja foi envolvido em  denúncias associadas ao  bicheiro Carlinhos Cachoeira. Em entrevista ao R7, o juiz federal Alderico Rocha Santos revelou como foi chantageado pela mulher do contraventor, Andressa Mendonça. O magistrado afirma que foi ameaçado por Andressa com um suposto  dossiê, que teria sido produzido contra ele pelo jornalista Policarpo Júnior, redator-chefe da revista Veja em Brasília, a pedido do bicheiro.

“Ela me perguntou se eu já tinha ouvido falar do  Policarpo (Júnior). Disse que ele tinha um dossiê contra mim, mas que tinha ligado pra ele, pedindo pra não divulgar enquanto ela não falasse comigo”.

A acusação de chantagem foi feita nesta segunda-feira (30) pelo próprio juiz em um documento encaminhado ao MPF (Ministério Público Federal). Alderico disse ao R7 que Andressa insistiu em falar com ele, na última quinta-feira (26) no prédio da Justiça Federal em Goiânia.

“Ela pediu várias vezes para eu soltar o Cachoeira, disse que a prisão era injusta e que, se eu o liberasse, o dossiê não seria divulgado (pela Veja)”.

O juiz conta que Andressa escreveu num pedaço de papel três nomes que “comprometeriam” Alderico. Os nomes foram: Marcelo Miranda, Maranhense e Luiz.

Alderico Rocha Santos afirma que apenas conhece os dois primeiros e não tem qualquer relação com eles. "Luiz" seria um amigo seu, e a relação não teria nada de comprometedor.

“Falei para Andressa: ‘Não sei se você tem fotos minhas com ele (Luiz, o amigo citado). Se não tiver foto minha com ele, eu tiro a hora que você quiser’”.

Por causa da chantagem, a empresária foi detida nesta segunda-feira (30) em Goiânia. Andressa foi interrogada na Superintendência da Polícia Federal da cidade e terá que pagar fiança de R$ 100 mil. Se não fizer o pagamento, ela terá a prisão preventiva decretada.

O juiz diz que tem dúvidas sobre a existência de um dossiê contra ele:

“Não sei se ela (Andressa) estava usando o nome dele (Policarpo Júnior) indevidamente. Até acredito que sim. Pelo que sei, ele é um jornalista competente”.

Procurada pelo R7, a assessoria da Editora Abril enviou uma nota informando que “a direção da Veja afirma que seu departamento jurídico está tomando providências para processar o autor da calúnia que tenta envolver de maneira criminosa a revista e seu jornalista com uma acusação absurda, falsa e agressivamente contrária aos nossos padrões éticos”.

Andressa Mendonça também foi procurada pela reportagem do R7, mas até o momento ela não atendeu as ligações.

Veja e Cachoeira

Em abril, o Domingo Espetacular, da TV Record, já havia denunciado os laços entre Carlinhos Cachoeira e Policarpo Júnior. Documentos a que o programa teve acesso mostravam a influência do bicheiro na publicação da Editora Abril.

O MPF vai investigar o caso e deve ouvir Policarpo Júnior, da Veja, para que ele explique o envolvimento que ele tem com Cachoeira.