segunda-feira, 23 de julho de 2012

Violência aumenta. E os deputados?

Violência no Espírito Santo e no país em geral aumenta assustadoramente; as leis protegem os marginais; por onde andam nossos deputados?

Por: Eliseu

violenciaTudo nessa vida tem um limite. Inclusive a paciência dos pacatos cidadãos brasileiros. A onda de insegurança que vem assolando o país por conta de leis ultrapassadas que protege os bandidos tanto maiores de dezoito anos como e, principalmente os ditos “menores infratores”, em detrimento dos cidadãos de bem já está começando – tardiamente – a surtir os efeitos negativos na sociedade.

Já a algum tempo venho alertando que se continuar da maneira que está, a população vai começar a fazer justiça com a próprias mãos, o que diante de incompetência do Estado, parece ser isso mesmo que querem.

A exemplo do que vem ocorrendo em Vitória, com estudantes ou qualquer grupelho de meia dúzia de “gatos pingados” que se acham no direito de parar a cidade, e diante da omissão da polícia militar, os ocupantes de um ônibus resolveram fazer valer a Constituição Federal que garante o direito de ir e vir literalmente no tapa.

Assassinato e linchamento

Ontem (22) em Cariacica, Região Metropolitana de Vitória, aconteceu mais um fato em que a população revoltada com a ineficiência do Estado resolveu fazer justiça com as próprias mãos.

Após ter assassinado a secretária Geisebel Lyra de Souza, o sargento afastado da Polícia Militar, Adeilson Xavier de Freitas, foi violentamente agredido pelos moradores e teve várias fraturas pelo corpo e contusões no crânio. Ele foi socorrido e está em estado gravíssimo no hospital São Lucas, em Vitória.

Aí depois que o fato acontece, explicações são dadas, dizem que providência serão tomadas, mas o que de fato interessa não vem à tona. Por onde andam nossos deputados para mudar esse raio de lei que beneficia os bandidos, criminosos em geral?

Já que estamos no Espírito Santo, fica a pergunta: por onde andam os deputados da bancada capixaba, especialmente a deputada Sueli Vidigal, esposa do prefeito de Serra, o demagogo Sérgio Vidigal, que foram eleitos, ambos, em troca principalmente de cestas básicas distribuídas com o dinheiro público? Porque será que a nobre deputada, que é de um dos mais violentos estados brasileiros não apresenta um projeto ou dá mais ênfase aos já existentes na casa para mudar essa situação?

Como está, parece mesmo que só sabe distribuir cestas básicas e acobertar as falcatruas do marido, que apoia o extermínio de animais e como médico e prefeito sequer cuida da saúde da população. Gosta mesmo é de maquiar a cidade jogando milhares de litros de água potável nos gramados da cidade.

Não é atoa que recebeu o título de pior prefeito do país na saúde. Sua área de formação profissional.

Leia também:

No ES caos na saúde não tem fim

Prefeito da Serra (ES) diz que índice do Ministério da Saúde é mentiroso. Ou é ele?