quarta-feira, 8 de agosto de 2012

A “poderosa chefona”

Senadora Kátia Abreu diz que foi ameaçada por mulher de Carlinhos Cachoeira

Por: Eliseu

PoderosaConforme já havia alertado aqui neste blog que muita lama ainda ia jorrar da Cachoeira da corrupção de Carlinhos Cachoeira, que acabou culminando com a cassação do senador Demóstenes Torres, DEMo, levando de roldão vários políticos principalmente do PSDB e com o envolvimento de todo o PIG, a imprensa golpista, encabeçando a lista em primeiríssimo lugar a revista Veja, seguida pela Rede Globo, Folha, Estadão, etc, parece ter entrado na segunda fase. A de ameaças.

Após ser presa por ameaçar o juiz federal Alderico Rocha Santos (afirmando ter em mãos um dossiê que seria publicado pela revista Veja), a mulher do Al Capone tupiniquim, Andressa Mendonça agora foi acusada pela senadora Kátia (PSD-TO) tentando intimidá-la de declarar que Kátia teria recebido dinheiro do “poderoso chefão” para sua campanha.

CartaCapital informou em sua edição online de ontem (7) que Kátia Abreu afirmou que interpelou judicialmente Andressa Mendonça pois esta tentou intimidá-la com declarações à imprensa de que teria recebido dinheiro de Carlinhos Cachoeira para campanha. “Entrei com uma interpelação contra essa senhora, diante desses acontecimentos e da tentativa de me reter, me amedrontar”, informou. “Ela disse que eu não saia da casa de Cachoeira para pedir dinheiro para minhas campanhas. Pelo jeito a bela resolveu ser fera”, disse a senadora, antes do início do depoimento de Andressa Mendonça.

Além das declarações à imprensa, a senadora informou que recebeu um telefonema no qual o autor da ligação de autoria anônima, procedimento análogo à mafiosos, dizendo que Andressa apresentaria à CPI um dossiê contra a senadora. Nesse dossiê, segundo a senadora, haveria uma foto dela ao lado do juiz Alderico Rocha Santos, titular dos processos que investigam as denúncias na 11ª Vara Federal de Goiânia. “Ela disse que tinha uma foto minha ao lado do juiz Rocha Santos. Muito melhor estar ao lado de um juiz do que do lado de um contraventor”, disse Kátia Abreu. Segundo a senadora, a polícia já conseguiu identificar que o telefonema partiu de um orelhão localizado em Taguatinga, cidade do Distrito Federal e já identificou câmeras no local que podem ter filmado o autor da ligação.