terça-feira, 21 de agosto de 2012

ES: autoridades… “ortoridades”?

Aqui no ES desempregados se “atrevem” a pescar para comer. São presos e acorrentados! Garota dirige bêbada, desacata policiais e ganha carona para casa na viatura

Por: Eliseu 

valmir_rodrigo_pescadoresNesse nosso Brasil tropical, terra de todos os santos, de corruptos e malucos que continuam pensando que caráter se mede por dinheiro e também algumas “curvas femininas”, parece que a explicação mais plausível para toda essa maluquice é o calor dos trópicos que deixa as “ortoridades” descompensadas, exagerando na punição de pobres e relevando os mais endinheirados, ou mais belas garotas.

No final de maio deste ano, Valmir e Rodrigo, dois desempregados calçando chinelos “de dedo” que estavam pescando (haviam pescado 2 kg de peixe) na baia de Vitória para garantir uma refeição para si e seus familiares, foram presos pela rigorosa Polícia Militar do ES. Foram algemados e passaram 26 horas acorrentados e sem comer no Departamento de Polícia Judiciária de Vitória (Polícia Civil).

luiza_gomesA mesma Polícia Militar do ES não foi tão rigorosa, muito ao contrário, de uma gentileza sem precedentes com a bela e siliconada jovem Luiza Gomes, estudante de Direito que estava dirigindo completamente embriagada. A jovem disse na frente dos policiais que sempre encontrava uma “brecha” para burlar a legislação – o que é verdade –, tentou ligar o carro com um canudinho de refrigerante e também tentou fumar uma nota de R$ 50,00, tudo isso na frente dos policiais militares e devidamente filmado. Os “rigorosos” policiais em vez de lhe dar voz de prisão e conduzi-la à Polícia Civil, gentilmente deram carona à mesma na viatura, levando-a em casa.

São duas historinhas verídicas acontecidas em pouco espaço de tempo aqui no Espírito Santo e que se repete por todo Brasil, país que as pseudo-elites são considerados uma casta superior, onde tudo é permitido.

Para ouvir o áudio, não esqueça de DESLIGAR a rádio clicando stop.

Felizmente não foi apenas esse blogueiro que se repugnou com essas atitudes desproporcionais dos policiais militares. O titular da Delegacia de Delitos de Trânsito, o competente Fabiano Contarato que já provou que não se deixa levar pela aparência ou conta bancária do infrator disse que o incidente envolvendo a estudante de direito Luiza Gomes foi uma sucessão de erros absurdos.

Para Contarato, o primeiro erro foi do proprietário do veículo, que permitiu que uma pessoa desabilitada assumisse a direção. “O carro está registrado no nome da mãe e por isso, legalmente, ela pode ser indiciada no Artigo 310 do Código de Trânsito”, afirmou o delegado.

Já a universitária pode ser punida por dirigir embriagada e sem habilitação, desacato a autoridade, dentre outras irregularidades. “O que ela fez é inacreditável. Estava visivelmente alterada, colocou em risco a vida de várias pessoas, e também a dela, e ainda humilhou às leis de trânsito vigente no Brasil, em especial a Lei Seca”, comentou.

De acordo com o Delegado, os policiais que foram ao local onde ocorreu o incidente também serão questionados. “Aqueles militares tinham respaldo para autuá-la, mesmo não existindo o flagrante. O fato dela não estar dirigindo no momento não é um argumento válido para não puni-la. O pneu e a lataria do carro danificados comprovam que ela já havia causado danos por onde trafegou”. A Corregedoria da Polícia Militar será acionada para analisar o trabalho dos policiais envolvidos, reforçou Contarato.

Uma pena que o Delegado Contarato na condição de autoridade seja uma das poucas vozes que se levantam contra os desmandos das surdas e cegas “ortoridades” constituídas desse país.