sábado, 13 de outubro de 2012

Haddad vê Serra “fora do tom” e disposto a “mobilizar as trevas” para vencer

Candidato do PT à prefeitura de São Paulo enxerga repetição do baixo nível de 2010 e afirma que adversário é 'incorrigível'; tucano tenta novamente associar ex-ministro ao mensalão

No: Rede Brasil Atual 

chalita_haddadO candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, lamentou o tom utilizado pelo adversário, José Serra, e o uso da religião como caminho para tentar angariar votos. “Acho que ele está fora de si, ele vai mobilizar as trevas como ele fez em 2010. Tudo que ele pôde fazer para ofender a presidente Dilma (Rousseff) ele fez. É uma pessoa que está completamente fora do tom e isso não é o que a cidade quer”, disse o petista durante entrevista coletiva concedida ontem (12) após visita ao Shopping Aricanduva, na zona leste da capital.

Para o petista, Serra se vale do trabalho do pastor evangélico Silas Malafaia para tentar reverter o atual quadro eleitoral, em que é derrotado por doze pontos de diferença. Nos últimos dias, Malafaia passou a atacar Haddad utilizando-se do kit de materiais didáticos criado pelo Ministério da Educação para combater a homofobia nas escolas. “É importante ressaltar o nosso papel, de promover a liberdade religiosa e respeito aos diferentes credos”, destacou o candidato, que compareceu a missa celebrada na zona leste da cidade ao lado do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB), quarto colocado no primeiro turno da disputa e agora apoiador do ex-ministro.

Haddad acredita que Serra está disposto a repetir o baixo nível da campanha presidencial de 2010, quando colocou em debate o tema do aborto na tentativa de roubar votos de Dilma Rousseff. “A história se repete nessas eleições. Assim como no segundo turno em 2010, eles recorrem a esse tipo de expediente”, afirmou. “O Serra não tem jeito. Na minha opinião ele é incorrigível. Ele vai ser assim para sempre”, acrescentou, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo

De acordo com o portal G1, o tucano retrucou tentando novamente associar Haddad ao julgamento da Ação Penal 470, conhecida como mensalão, que está sendo conduzido pelo Supremo Tribunal Federal. Para Serra, seu adversário está equivocado ao dizer que Malafaia trabalha pela campanha do PSDB. “Eles (PT) estão inventando isso por quê? Porque Fernando Haddad não sabe como explicar aquele chamado ‘kit gay’. Gastou R$ 800 mil para nada. Dinheiro que foi gasto e não aconteceu nada. Era um esquema tão mal feito que a Dilma revogou”, destacou. “Então, pra fugir desse assunto, ele leva para a discussão religiosa. É o padrão Zé Dirceu. O Zé Dirceu é o guru intelectual do PT e do Haddad. É o homem que filiou o Haddad. Ele orienta a campanha do Haddad. O Haddad a cada dia está virando o Zé Dirceu. Não era, mas a cada dia tem um pouquinho mais de Zé Dirceu e de toda aquela patota deles que acabou de ser punida pelo STF.”