quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Mais uma tentativa para envolver Lula no “mensalão”

Em depoimento sigiloso que teria prestado ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, em setembro, o operador do chamado "mensalão" teria citado o ex-presidente, o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci e o prefeito assassinado de Santo André, Celso Daniel; condenado a mais de 40 anos de prisão, quer o benefício da delação premiada.

No: Vermelho

marcos_valérioA manchete desta quinta-feira (1º) de O Estado de S. Paulo pretende dar um novo rumo ao escândalo do chamado "mensalão". O jornal noticia que Marcos Valério, operador do esquema e condenado a mais de 40 anos de prisão, teria prestado depoimento sigiloso ao Ministério Público Federal em setembro deste ano (durante o julgamento da Ação Penal 470), sendo ouvido pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.
Marcos Valério acaba de encaminhar ao Supremo Tribunal Federal, por meio de seu advogado Marcelo Leonardo, um pedido de delação premiada, na tentativa de reduzir suas penas. Ele também quer ser incluído no sistema de proteção a testemunhas, alegando correr o risco de ser assassinado. A reportagem, assinada por Fausto Macedo e Felipe Recondo, afirma que Valério teria mencionado outras remessas que fez ao exterior, além do pagamento ao publicitário Duda Mendonça, recentemente absolvido pelo Supremo Tribunal Federal.
Os pedidos de proteção e de delação serão analisados pelo ministro Joaquim Barbosa quando ele retornar do seu tratamento de saúde na Alemanha. De acordo com o advogado, Valério não tem mais o que acrescentar à Ação Penal 470, já finalizada, mas pode agregar informações a outros eventuais inquéritos.

Com informações do Portal 247 e do jornal O Estado de S. Paulo