sábado, 12 de janeiro de 2013

Dor danada!

Por: Eliseu

ludzmar-eliseuSe não fosse o cruel destino ou seja lá o que for, hoje eu e Ludzmar  estaríamos completando 33 anos de casados. O dia do casamento também foi um sábado. Infelizmente não consegui cumprir o que queria: ir primeiro.

Ela, mulher alegre, batalhadora, excelente esposa, mãe, amiga, se foi de forma abrupta, vítima de uma doença que não deu as caras, se escondendo de renomados médicos e exames sofisticados, só aparecendo para levá-la de forma covarde.

Fiz o que podia para tentar vê-la curada e pensava que conseguiria. E tenho absoluta certeza de que os médicos que cuidaram dela com tanto carinho e dedicação também fizeram o possível. Infelizmente se foi, de forma serena como era, mas se foi deixando um vazio imenso, uma angústia terrível! Do alto de minha ignorância penso que foi uma tremenda injustiça.

De qualquer maneira bem, completamos sim 33 anos de casados. Não da maneira que desejava, mas completamos. E enquanto eu tiver vida completaremos outros aniversários de casamento. Minha condição de viúvo é apenas proforme, para atender a legislação. Vejamos o que me aguarda.

Um beijo e até breve. De seu bem, Eliseu.