quarta-feira, 27 de março de 2013

Após manifestação, prefeitura de SP promete solução para mais duas ocupações

Terrenos ficam na zona norte da cidade; famílias serão incluídas em programas habitacionais

Por: Júlia Rabahie, no Rede Brasil Atual 

desocupaçaoApós manifestação no centro da São Paulo, em frente à Secretaria Municipal de Habitação, ocupantes de duas áreas na zona norte conseguiram hoje (27) da prefeitura o compromisso de que todas as famílias sejam cadastradas em programas habitacionais antes de deixarem os terrenos.

“Conseguimos avanços nas negociações”, disse o coordenador da União dos Movimentos por Moradia (UMM), Donizete Fernandes de Oliveira, depois de reunir-se com o secretário de Habitação José Floriano de Azevedo Marques Neto. 

Os sem-teto reivindicam atendimento aos ocupantes em um terreno na avenida Deputado Cantide Sampaio, onde famílias moram há mais de cinco anos. Cerca de 1.700 pessoas vivem no local, que está em fase de desapropriação para que a área seja transformada no Parque Brasilândia pela prefeitura. “Aceitamos sair, queremos que se transforme em parque, mas queremos antes ter lugar para morar”, disse uma das ocupantes, que preferiu não se identificar.

“Conseguimos agora com o secretário que as famílias sejam todas cadastradas”, explicou Donizete. Ficou acordado que na segunda-feira (1º) haverá reunião com a subprefeitura da Freguesia do Ó/Brasilândia, para que o cadastramento das famílias, referente ao recebimento de bolsa-aluguel ou a atendimento habitacional permanente, comece a ser feito.

A outra ocupação fica no Parque Panamericano, no Jaraguá, onde vivem cerca de 300 famílias. A área pertence a uma cooperativa habitacional que conseguiu liminar junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo para que a área seja desocupada até o dia 18 de abril.

O coordenador da UMM afirmou que o secretário de Habitação prometeu se empenhar para que a liminar seja suspensa. Ficou marcada uma vistoria pela subprefeitura da Freguesia do Ó/Brasilândia, também na próxima segunda, em áreas próximas à ocupação, para que estas sejam destinadas à moradia para as famílias.