terça-feira, 19 de março de 2013

Aprovação de Dilma chega a 63%

No: CartaCapital 

DilmaO governo da presidenta Dilma Rousseff é aprovado por 63% dos brasileiros, segundo a primeira pesquisa do ano da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o IBOPE. O resultado foi divulgado nesta terça-feira 19.

Em relação à última pesquisa, em dezembro, a administração da petista oscilou um ponto percentual para cima, dentro da margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O resultado positivo ocorre mesmo após o anúncio do crescimento de apenas 0,9% do PIB em 2012. O índice da presidenta é melhor que as aprovações de seus antecessores Lula (39%) e FHC (56%) no mesmo período de seus mandatos.

Segundo os dados, 29% dos entrevistados acham o governo regular e 7% o consideram ruim ou péssimo.

Aprovação pessoal. Dilma também oscilou um ponto positivo em sua aprovação pessoal desde a última pesquisa: de 78% para 79%, dentro da margem de erro. O resultado é superior ao de Lula (58%) e FHC (70%). Somente 17% dos entrevistados desaprovam a forma de governo da mandatária.

A confiança na presidenta também subiu: de 73% em dezembro para 75%, contra 60% de Lula e 68% de FHC.

Melhora nos indicadores. Os entrevistados aprovaram as ações de combate à fome e à pobreza (64%), meio ambiente (57%), combate ao desemprego (57%) e combate à inflação (48%). Mas foram contrários às medidas adotadas pelo governo na educação (47%) e na taxa de juros (42%).

A taxa de cobrança de impostos foi desaprovada por 60% dos entrevistados, mas houve uma melhora ante os 65% anteriores. O mesmo aconteceu com a segurança pública (caiu de 68% para 66%) e a saúde (recuou de 74% para 67%).

Para 61% dos brasileiros, o governo Dilma é igual ao do ex-presidente Lula. A novidade é que pela primeira vez o percentual que considera o atual governo melhor que o de Lula (20%) é maior do que o que considera o contrário (18%). Na pesquisa de dezembro, 21% considerava o governo Lula melhor, e 19% considerava o de Dilma melhor.

Foram ouvidas 2.002 pessoas em 143 municípios, entre 8 e 11 de março de 2013.