sexta-feira, 5 de abril de 2013

PSDB decide anular convenção e ex-presidente anuncia desfiliação do partido

No: Folha Vitória

cesar_colnagoA executiva estadual do PSDB decidiu nesta sexta-feira (5) anular a convenção que elegeu o engenheiro Aloísio Ramaldes como presidente do partido em Vitória. A decisão foi tomada após pedido de impugnação de militantes e que foi protocolado devido à quebra do regimento interno no processo de escolha do novo comando da sigla.

Com a decisão, Ramaldes, que estava no partido há mais de 20 anos, pediu sua desfiliação. O presidente estadual do PSDB, César Colnago, até chegou a pedir para ele ficar, mas não houve consenso. "Ele é uma pessoa que sempre acreditou na política e no partido. Sempre foi muito ligado na área de planejamento, mas preferiu dar esse tempo".

Após a impugnação da chapa eleita, uma comissão provisória foi nomeada para responder pelo diretório municipal. O tucano Antonio Coutinho foi eleito o presidente; Télvio Valim será o tesoureiro; Henrique Antonio Meneghel secretário. Além deles compõem a diretoria interina Nádia Dorian, Disney Dourado, Milton Herzog e o ex-presidente do partido Luiz Emanuel Zouian.

Segundo Colnago, não há prazo para que uma nova convenção seja realizada. Com isso, o deputado acredita que a crise no ninho tucano esteja superada. "Tivemos algumas diferenças, mas o clima agora está bem melhor. Essa é uma página virada", afirmou.

A situação no PSDB da Capital não era a das melhores desde que Ramaldes, aliado do ex-presidente Luiz Emanuel, foi eleito. Militantes alegaram que não houve diálogo na composição da chapa. O empresário Cassinho Ayres foi quem pediu a impugnação. Ele chegou a bater boca com Luiz Emanuel em público e registrou boletim de ocorrência na polícia alegando que teria sido ameaçado.

Em nota, Ramaldes afirmou que aceitou a indicação para liderar o PSDB em Vitória porque fui convidado e naquele momento era o nome de consenso das quatro maiores lideranças do partido na cidade, que eram o deputado Cesar Colnago, o vereador Luiz Emanuel, a vereadora Neuzinha e o ex-prefeito Luiz Paulo Vellozo Lucas.

"Por razões para mim, não claramente tornadas públicas, essas lideranças não mantiveram o consenso pactuado em reunião conjunta em minha residência, mais precisamente o ex-prefeito Luiz Paulo Vellozo Lucas".

Diante do impasse, o ex-presidente diz que resolveu se retirar para não acirrar ainda mais a crise. "Os argumentos do contraditório pedido de anulação da convenção e minhas considerações sobre todo o processo foram apresentados por escrito à Executiva Regional", explicou.