segunda-feira, 17 de junho de 2013

Cafu pede respeito à Dilma

“Ela é a presidenta do Brasil, a autoridade máxima do nosso país, uma pessoa que, sem sombra de dúvida, impõe respeito onde quer que vá”.

Por: Eliseu 

cafu_seleçao_brasileiraO capitão da seleção brasileira no pentacampeonato de 2002, Cafu, condenou ontem (16) as vaias à presidenta Dilma anteontem no estádio Nacional Mané Garrincha, na abertura da Copa das Confederações, em que o Brasil venceu o Japão por 3 a 0. Grande parte do público presente era de membros da podre elite brasiliense, que pagou altos valores para ver o jogo. Um deles, o senador de tucano Álvaro Dias (PSDB-PR), gastou R$ 1.463,00 por seis ingressos, evidentemente com o nosso dinheiro, e ainda teve a desfaçatez de publicar a foto em seu perfil no Facebook.

“Ela é a presidenta do Brasil, a autoridade máxima do nosso país, uma pessoa que, sem sombra de dúvida, impõe respeito onde quer que vá. Mas é o povo brasileiro e você não pode conter todo mundo. Foi uma situação ruim e desagradável. Isso, mundialmente, não repercutiu bem”, disse Cafu.

“Nós construímos estádios do nível do futebol europeu e estamos aqui lamentando o por que desses estádios. A gente espera que eles não virem elefantes brancos e eu tenho certeza que isso não vai acontecer. Até porque vai ajudar muito lugares onde o futebol não é tão divulgado. Se você pega São Paulo, Rio, Minas Gerais, Paraná, Porto Alegre, são locais onde o futebol já é bastante competitivo. Se pega outros lugares, como Manaus, onde o futebol não é tão competitivo, a cidade vai ganhar muito em termos de infraestrutura, educação, transporte e terá um crescimento muito grande. O Brasil vai ganhar com esses estádios modernos”, destacou.

Infelizmente o PIG (Partido da Imprensa Golpista), liderados principalmente pela Rede Globo, Folha, Estadão e Editora Abril são tendenciosos e tentam generalizar uma situação inexistentes com notícias distorcidas que a podre, imbecil e deslumbrada pseudo-elite brasileira quer. Não houve destaque algum aos aplausos que Dilma recebeu dos 78 mil trabalhadores no Maracanã.

Será que um voto de quem pode pagar R$ 600,00 para assistir um jogo de futebol vale mais que o de um trabalhador que ganha pouco mais que isso por mês e não foi ao estádio? As e últimas eleições presidenciais provaram que não!

Com informações do Rede Brasil Atual