segunda-feira, 22 de julho de 2013

Protestos durante visita do papa fere policial gravemente

301731-970x600-1Durante o confronto entre a polícia e manifestantes próximo ao Palácio Guanabara, sede do governo do Rio, um policial sofreu graves queimaduras e foi levado com urgência ao hospital da Polícia Militar. Cinco pessoas foram detidas durante a manifestação.

O agente foi atingido por coquetel molotov. Ele sofreu queimaduras na tórax. As informações constam na conta da PM numa rede social.

Outros policiais também tiveram queimaduras e foram encaminhados ao hospital da corporação, no Estácio, zona norte do Rio.

A PM não informou, porém, o total de agentes feridos.

DETIDOS

Ao todo, cinco pessoas foram detidas durante a manifestação, segundo a PM em rede social: um por desacato, três com coquetéis molotov e um por atirar pedras em policiais. Eles foram encaminhados à 9ª Delegacia de Polícia, no Catete.

Um dos detidos era integrante do grupo de mídia Ninja, que faz a cobertura dos protestos com vídeos e textos postados nas rede sociais.

O jovem foi liberado há pouco. Manifestantes que ainda se encontram em frente à 9ª Delegacia de Polícia comemoraram quando ele foi solto.

FERIDOS

Ao menos um manifestante foi ferido na perna por disparo. Leonardo Caruso foi atendido no local pelo estudante de medicina Felipe Camisão, 24. Ele contou que um grupo estava correndo, quando, ao virar a esquina no largo do Machado (zona sul), o jovem foi alvejado na perna.

O estudante diz que se trata de uma bala de verdade, e não de uma de borracha. A reportagem procurou a Secretaria de Saúde do Estado, que não respondeu à reportagem até agora.

Coquetel molotov explode próximo a policial durante confronto entre manifestantes e forças de segurança em frente ao Palácio Guanabara após o discurso do papa

A Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro nega que o disparo tenha sido de uma bala de arma de fogo. O rapaz, diz, foi alvo de uma bala de borracha. O jovem está sendo atendido no hospital Souza Aguiar, no centro do Rio.

Uma mulher também foi encaminhada à mesma unidade hospitalar. Ela sofreu luxação na mão após ser atingida por um cassetete.

Outro ferido foi fotógrafo Yasuyoshi Chiba, da AFP, atingido na cabeça, na confusão que teria começado depois que um grupo lançou latinhas nos policiais em bloqueio próximo à sede do governo do Rio de Janeiro.

O conflito aconteceu por volta das 19h45 logo após o papa Francisco deixar o local, onde realizou seu primeiro discurso. Dentro do Palácio ainda estava a presidente Dilma Rousseff e diversas autoridades, além do governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB), e do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB).

Folha S.Paulo