quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Presidente do STF critica “politiqueiros”

Barbosa diz que comprou apartamento em Miami “pelos meios legais”

Por:  Luiz Orlando Carneiro, no Jornal do Brasil

joaquim_barbosa_stfAo ser interpelado por jornalistas sobre a denúncia de que adquiriu por cerca de R$ 1 milhão, em maio do ano passado, um apartamento em Miami, o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, afirmou:  “Comprei com o meu dinheiro, que tirei da minha conta bancária, e enviei (o dinheiro) pelos meios legais”. O imóvel teria sido comprado por uma empresa (Assas JB Corp), por ele supostamente constituída para tal fim.

Ao ser instado a falar de uma eventual consulta ao CNJ de associações de juízes sobre a possibilidade de magistrados participarem de empresas, Barbosa acrescentou: “Não tenho contas a prestar a esses politiqueiros”.

“Aqueles que estão preocupados com as minhas opções de investimento feitas com os meus vencimentos, com os meus ganhos legais e regulares, deveriam estar preocupados com questões muito mais graves que ocorrem no país, especialmente com os assaltos ao patrimônio público que ocorrem com muita frequência. Essa deveria ser a preocupação principal, e não tentar atacar aqueles que agem corretamente. Existe um ditado muito interessante – quem não deve não teme. Quanto a essas pessoas que vivem a me atacar eu digo isso: quem não deve não teme”, concluiu Barbosa, logo depois do encerramento da sessão plenária do CNJ.

Em nota enviada ao jornal “Folha de São Paulo”, no dia 20 de julho, o ministro explicara que a aquisição do apartamento foi feita “em conformidade” com a lei norte-americana, e que seguira a orientação de um advogado antes de realizar a compra. Ele afirmou ainda que sempre poupou parte dos seus ganhos e que tem “meios de sobra para adquirir imóvel desse porte”.

Recentemente, Barbosa afirmou em entrevista que o Brasil  não estaria preparado para ter um presidente negro. A declaração, feita após pesquisas de opinião apontarem seu nome como um dos possíveis candidatos às eleições presidenciais, traz à tona possíveis preocupações do ministro com a questão do racismo no Brasil. Nas últimas semanas, seu nome vem sendo envolvido em temas polêmicos, como, mais recentemente, o caso da compra do apartamento em Miami.