sábado, 30 de novembro de 2013

Aécio sai em defesa de acusado de tráfico

O playboy senador e presidenciável tucano defende fornecedor e diz que caso deve ser rapidamente esclarecido. Também critica o Ministro da Justiça José Cardozo por enviar denúncia contra tucanos à Polícia Federal

Por: Eliseu 

aecio_bebadoO senador Aécio Neves (PSDB), conhecido playboy mineiro que também gosta de aprontar das sua no Rio de Janeiro e provável candidato à presidência da República, disse ontem (29) em São Paulo que ainda não vê ligação do deputado estadual Gustavo Perrella (Solidariedade-MG) com a “questão” (tráfico de drogas) na qual é implicado. Perrella, filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG), é o dono do helicóptero apreendido em uma fazenda no município de Afonso Cláudio, Espírito Santo, com 443 quilos de cocaína no último domingo (24). “Ele tem que explicar. Até hoje não ouvi nada que o vinculasse a essa questão. Temos que dar a ele direito de defesa, mas é preciso que seja rapidamente esclarecido”, afirmou, após almoço no Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), na Vila Clementino, zona sul da capital, informou o site Rede Brasil Atual.

O site de notícias também informou que o deputado federal Fernando Francischini (Solidariedade-PR) afirmou que vai pedir ao presidente do partido, Paulinho da Força, o afastamento de Gustavo Perrella do partido.

Aécio falou também sobre as denúncias da formação de cartel e de corrupção no Metrô de São Paulo, trazidas à tona pela multinacional alemã Siemens ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), dizendo ser falsos os documentos nos quais são citados três secretários do governador tucano Geraldo Alckmin que poderiam estar ligados ao esquema do lobista Arthur Teixeira: José Aníbal (Energia), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico). Segundo as denúncias, atribuídas ao ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer, o senador Aloysio Nunes (PSDB/SP) também seria próximo a Teixeira.

“Queremos que o ministro da Justiça simplesmente explique por que não assumiu desde o início que foi ele quem encaminhou os documentos à Polícia Federal. Por que não se explica com clareza quem é que fez a falsificação daqueles documentos”, disse Aécio. Esta semana, ele, os três secretários e Aloysio Nunes chegaram a pedir a demissão de Cardozo.

Ontem, o ministro da Justiça acusou a cúpula tucana de tentar tumultuar as investigações que envolvem vários caciques do partido com o esquema de corrupção no Metrô de São Paulo e na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e disse que vai processar quem o difamar.

O que o narigudo playboy mineiro “esqueceu” de mencionar é que seu partido, o PSDB, lidera com folga o ranking dos partidos com mais corruptos no Brasil.

E Aécio não é o primeiro na cúpula do tucanato a defender o tráfico de drogas. O facínora “coisa ruim”, também conhecido no mundo dos cornos como “corno manso” diplomado e tudo, para ficar mais claro, Fernando Henrique Cardoso que atende também pela alcunha de FHC já defendeu de público o uso e tráfico de maconha.