sexta-feira, 4 de abril de 2014

Na Serra/ES também não existe saúde pública

A cidade de Serra, localizada no Espírito Santo é uma cidade no mínimo contraditória. Ou melhor, o prefeito Audifax Barcelos é! Isso para não ser mais direto.

Por: Eliseu 

upa_carapina_serra_audifaxPor mais que esse blogueiro tente, não há meio de fazer um elogio sequer à administração de Audifax Barcelos. Os números são interessantes: 17,5% de todas as riquezas produzidas no Estado pertencem à cidade; das 200 maiores empresas capixabas, 44 atuam no município, inclusive grandes players internacionais; possui 25% do PIB da Região Metropolitana da Grande Vitória; 15,3% do PIB estadual; 16,6% do ICMS estadual e ainda possui o maior parque industrial, sendo assim a segunda economia do Espírito Santo (ver postagem “Desenvolvimento na Serra? Para quem?!”, de Sítio Casarão).

Mas apesar de todos esses números e passados 1 ano e três meses de governo (?) o que vemos é o descaso em todas as áreas e secretarias do município. Mato por todo lado, ruas intransitáveis, falta de medicamentos nos postos de saúde, falta dos próprios postos de saúde, escolas sucateadas dentre tantos outros desmandos. Se existe receita, e muita, e não há despesas (nada é feito na cidade), a pergunta que fica é: para onde está indo o dinheiro? A resposta é obvia: corrupção! Corrupção do atual, do antecessor - os dois se confundem - e confundem a população. Não tenho provas de corrupção no governo Audifax, portanto não posso classificá-lo de corrupto, mas seu “criador” e antecessor Sérgio Vidigal que se perpetua no poder desde 1997 junto com Audifax (os dois travam uma guerrinha de teatro) esteve envolvido em várias denúncias, como esta em que o MP de Contas denuncia irregularidades durante gestão de Sérgio Vidigal.

Mas a corrupção, ou apenas para argumentar como diria se advogado fosse, a má gestão da coisa pública mostra sua face mais cruel, covarde quando o cidadão que paga seus impostos, ou seja o trabalhador, aquele que mesmo se quisesse não teria como sonegar, precisa dos serviços de saúde pública que a grande mídia, o PIG insiste em responsabilizar o governo federal, quando a verdade é que são os municípios os grandes responsáveis pela prestação da saúde pública, que diga-se é um direito constitucional previsto no Artº 6 e não um favor como os prestadores do serviço deixam claro pensarem ser. Pobre Constituição, sempre “rasgada”, relegada à um plano inferior por quem deveria resguardá-la, nossos governantes.

E o lado cruel, covarde e indigno da corrupção (ou má gestão, como queiram) pôde ser visto por esse blogueiro mais uma vez (já foram tantas quantas as estrelas que cintilam no céu…) ao levar uma pessoa que não se encontrava bem de saúde à UPA de Carapina, na nossa rica cidade de Serra/ES citada acima, na noite de 2/abril por volta das 22:00 hs. e observou in loco como o nosso prefeito Audifax Barcelos trata sua população. Ou melhor, não trata. Os desmandos começaram na chegada e continuaram durante todo o período, só cessando quando finalmente os medicamentos foram ministrados e estávamos livres daquele antro.

upa_carapina_serra_desrespeitoJá na chegada pode ser visto o descaso: a “maquina” que fornece a senha desapareceu há um bom tempo; na classificação de risco também há um bom bocado de tempo não é fornecida a pulseira com as respectivas cores, ficando assim prejudicada a lisura no chamado dos pacientes. Após um bom período aguardando ser chamado pelo médico, a surpresa! “Não pode entrar, só o paciente” diz um despreparado e mal humorado vigilante terceirizado com cara de poucos amigos (havia três à vista), e apontava um papel e repetia como um robô, sem se dar conta que estava ele, - um pobre ignorante das leis - e que só cumpria ordens da despreparada direção do PA, que cumpre ordens do também despreparado Secretário de Saúde Luiz Carlos Reblin, que por sua vez cumpre ordens do prefeito Audifax, desrespeitando um direito do paciente previsto no parágrafo 26 da Portaria do Ministério da Saúde nº1286 de 26/10/93- art.8º e nº74 de  04/05/94. Será que o prefeito não tem uma assessoria jurídica para informá-lo desse gritante desrespeito, ou é maldade mesmo? Talvez seja a premente necessidade que os políticos tem de descumprir a lei! Mas não terminou… Depois de ser atendido de forma veloz (não mais que três minutos) pelo médico plantonista, mais uma surpresa! O paciente que já estava dentro do bendito PA volta cambaleante e só à recepção como se se ministrasse medicamento na tumultuada recepção para aguardar que o medicamento prescrito fosse ministrado. Ao perguntar ao vigilante o porque (até agora não descobri qual a verdadeira função do referido terceirizado uniformizado), a resposta ríspida: se for verde (tive que adivinhar que ele dizia a classificação de risco) o prazo é de até 4 horas. “Mas e se for amarelo?”, perguntei. A resposta: é de até uma hora e meia. banheiro_upa_carapina_Pedi que chamasse o responsável pelo PA. “Aqui só tem responsável até às 17 horas em dia de semana”, disse o vigilante no que foi repetido por dois funcionários da recepção e pela enfermeira que fazia a classificação de risco. Só me restou ir ao banheiro. Aí mais uma complicação: além do mesmo se encontrar imundo, fétido, não havia nem um trinco que pudesse fechar a porta. A foto está aí.

Audifax Barcelos disse para todos que estavam presentes em uma reunião realizada no Singos Clube em meados de 2013 com representantes e moradores do bairro Jardim Limoeiro, na qual esse blogueiro intrometido estava presente, que seus secretários eram os melhores que poderia haver. Pois bem, se fossem os piores…

Para quem quiser reclamar ou quem sabe dar os parabéns pelo péssimo serviço ao Secretário de Saúde, Sr. Luiz Carlos Reblin, segue os contatos. É claro que ele não vai atender nem ler, mas incomoda. Tel: (27) 3252-7497 | e-mail: luiz.reblin@serra.es.gov.br