segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Os nécios Marina e seu vice Albuquerque!

No: Terra Brasilis – Postado originalmente em 29 de agosto de 2014

marina

Esse néscio não arrumou desculpa melhor, vejam  a besteira que ele falou: É como entrar no táxi e perguntar se é roubado, diz Albuquerque sobre jato. Vice de Marina Silva ironizou suspeita de ilegalidade no uso de aeronave. Jornal Nacional apontou que empresas fantasmas pagaram dona do avião

Seu  néscio Albuquerque, se eu ver na garagem do meu vizinho um carro novo, lindo e caro, não vou perguntar como ele conseguiu, pelo simples motivo que eu tenho nada com isso, não é problema meu. . Se eu tomar um taxi, não vou perguntar a procedência, não sou sócia taxi, não sou parente, não sou amiga do taxista. Ele me leva aonde eu preciso e eu pago a corrida.   Agora se eu sou a vice de um candidato, e ele aparece com um avião, eu vou  querer  saber como ele comprou, aonde arrumou a grana, quanto pagou, quem financiou, quem faz a manutenção, e quanto eu como vice vou ter que contribuir com o pagamento já vou utilizar a aeronave. Vou querer  saber informações sobre antigo proprietário. Não acredito que Marina Solva não tivesse nenhuma informação sobre  a aquisição do avião. É um avião, não é uma simples gravata. Tanto Marina Silva, como o PSB, o seu Albuquerque tem obrigação de prestar contas desse  avião, que fez sete vítimas,  e causou um imenso prejuízo   a moradores de Santos, local da queda. Tem que prestar contas ao TSE, e colaborar com  as investigações policiais. Como dizer que não sabe quem é o dono, quem pagou, de onde veio o dinheiro para  a  aquisição.? Esse seu Albuquerque pensa que somos idiotas, diante de tudo que foi dito pelas investigações, laranjas, endereços falsos, pessoas sem condições financeiras para a compra, pessoas se escondendo. Tenha  o mínimo  respeito pelas pessoas.  Está claro que se trata de uma maracutaia, de uma negociata espúria, caixa 2 quem sabe? Os néscios Marina Silva,  Albuquerque, e PSB, devem muitas explicações, e  chega de blá, blá  para tentar enganar o povo.

Jussara Seixas