domingo, 5 de outubro de 2014

“A troco de quê alguém vai escolher quem nunca construiu, nunca fez?”, diz Dilma

Ao lado de Pimentel, presidenta fecha campanha na Belo Horizonte natal com afirmação de que não teme segundo turno e indiretas a Aécio Neves: “Não se faz programa social no Brasil por projetos-piloto”

No: Rede Brasil Atual 

dilma

A presidenta Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, abriu o último dia de campanha no primeiro turno com caminhada pelo centro da Belo Horizonte natal ao lado do ex-ministro e candidato petista ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel, favorito para vencer a disputa. Em breve entrevista coletiva concedida antes do ato, ela procurou novamente polarizar atenções com o postulante do PSDB ao Planalto, o ex-governador Aécio Neves.

“Vários dos candidatos dizem que o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida, o Pronatec, o Mais Médicos, vários programas serão continuados. A troco de quê alguém vai escolher quem nunca construiu, nunca fez, e quando teve oportunidade não fez contra quem construiu um programa?”, indagou. Dilma em seguida alfinetou especificamente o tucano, acusado de apresentar entre suas propostas presidenciais programas que foram apenas testados quando governador, sem impacto significativo para a população. “Nenhum deles (dos programas federais) é um projeto-piloto. Não se faz programa social no Brasil por projetos-piloto. O Brasil precisa, pelo tamanho da sua população, de grandes projetos.”

Inicialmente Dilma fecharia a campanha em uma caminhada em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do candidato do PT ao governo paulista, Alexandre Padilha. Mas, ontem à noite, decidiu mudar a agenda e viajar a Belo Horizonte antes de seguir a Porto Alegre, onde vota amanhã pela manhã. A agenda reforça a atuação da petista em um estado que pode ser decisivo em um segundo turno contra Aécio. No debate realizado pela Rede Globo, na quinta-feira, ela já havia buscado polarizar a disputa com o tucano, deixando de lado o confronto direto com a candidata do PSB, Marina Silva, até então segunda colocada.

As pesquisas têm mostrado um cenário indefinido. Tanto a eleição pode ser definida amanhã, com reeleição, como o tucano pode ultrapassar Marina na última hora e disputar a segunda rodada com Dilma. No estado, a petista cresceu nas últimas semanas e agora tem diferença superior a dez pontos em relação a Aécio, governador de Minas por dois mandatos e que em 2010 conseguiu eleger como sucessor o também tucano Antonio Anastasia. Desta vez, porém, o candidato do PSDB, Pimenta da Veiga, tem dificuldades frente ao ex-ministro do Desenvolvimento Fernando Pimentel, que caminha para sair vencedor já no primeiro turno. “Não temo o segundo turno. Eleição é para ter todas as possibilidades de participação democrática. Se o eleitor decidir que terá segundo turno terei imensa alegria em participar desse processo”, afirmou a petista.

Ao responder sobre a decisão de fechar a campanha em Belo Horizonte, Dilma valorizou a relação de afeto com a cidade e evitou citações a Aécio. “Vou nos dois estados que são responsáveis pela minha formação, e aos quais eu devo minha formação pessoal e política. Nasci aqui. Vivi antes de ser obrigada a sair do estado, 19 anos. Toda minha formação infantil, de adolescente. E aqui eu entrei na política. Daqui eu tive que sair porque naquela época havia uma grande repressão contra qualquer forma de manifestação.”