sábado, 11 de outubro de 2014

Em 2013 um monstro predador emprenhou as urnas de 2014

No: Terra Brasilis – postado originalmente em 10/10/2014

ITAMARATY2

Há algo incongruente, paradoxal e fora do contexto conspurcando os votos destas eleições.

Refiro-me às manifestações de junho de 2013. Começou com o movimento MPL, em Sampa, contra o aumento de 20 centavos na passagem do ônibus. A partir daí se espalhou por todo o Brasil. Surgiram várias novas reivindicações  e as principais, mais saúde e educação, foram atendidas pela presidente Dilma. Mais saúde, com o programa Mais Médicos. Mais educação: a presidenta Dilma Rousseff sancionou sem vetos  a lei que destina 75% dos royalties do petróleo para a educação e 25% para a saúde. Além disso, o texto prevê que 50% de todos os recursos do Fundo Social do pré-sal sejam destinados para os dois setores, Saúde e e Educação.  Havia também manifestações contra a corrupção, e hoje são as que mais chamam a atenção.

Em Brasília,  um partidário de Marina Silva chegou a tentar incendiar o Itamaraty. Houve muita violência, depredação do patrimônio público e privado, saques em lojas, feridos e mortes. Faixas e mais faixas contra a corrupção.

Mas o que se viu nas eleições de 2014 foram corruptos e mais corruptos sendo eleitos e  reeleitos. Serra, por exemplo, envolvido com a corrupção do Metrô, com o trensalão, com o desvio de de recursos das privatizações (documentado no livro A Privataria Tucana), com depoimento na PF marcado para 7/10, foi eleito.

Maluf, mesmo cassado porque comprovadamente roubou os cofres públicos de São Paulo, enviando o dinheiro para vários paraísos ficais, foi reeleito mas não pode assumir.

O Arruda, no DF, que  aparece em vídeos recebendo propinas, estava na frente nas pesquisas eleitorais e só não foi eleito porque, sabendo que perderia no STF, renunciou  à candidatura.

Em Rondônia  o candidato  Expedito JR., do PSDB, foi eleito Senador em 2006 mas teve seu mandato cassado três anos depois sob as acusações de compra de votos e abuso de poder econômico. Tentou em 2010 a candidatura para o governo de Rondônia, mas foi impedido pela Lei da Ficha Limpa: agora vai disputar  o 2º turno para governador de Rondônia.

Geraldo Alckmin é um fenômeno à parte. Envolvido com a corrupção da  Alstom, cartel do metrô e da CPTM, com acusação comprovada de recebimento de propinas por secretário de confiança e ao PSDB. Alckmin comprovadamente não investiu para criar reservatórios de água suficientes para abastecer os paulistas e por isso já estamos sem água. Vai ser  o” apagão da  água”. Alckmin também não investiu em segurança e a violência em SP aumenta a cada dia. No entanto, foi reeleito. Alckmin aumentou os pedágios, que já são os mais caros do Brasil, em 6,97%. Por causa do arredondamento de tarifas previsto em contratos, o reajuste deste ano chega, na prática, a até 8,57%, dependendo da praça de pedágio. Ninguém se manifestou, todo mundo paga calado.  E faz manifestação por 20 centavos  nos ônibus?  Então por que fazer manifestações de combate a corrupção, se elegeram e reelegeram os mais corruptos do Brasil?

Jussara  Seixas (coeditora do Terra Brasilis - São Paulo)