segunda-feira, 18 de abril de 2016

Rumo ao quarto turno!

“Fiquei com a sensação e certeza de que nada adiantou a luta para restabelecimento da democracia que custou tanta destruição de famílias, torturas e mortes. Lastimável!”

Por: Eliseu 

boulos_golpe_mobilizaçao

Ontem, (17), um dia após este blogueiro completar 6 décadas de existência, posso dizer que foi, no que se refere a política, o dia mais triste de minha vida.  Frisei o “política” porque na vida íntima já sofri tristeza que não há como comparar.

Mas voltando à política, a tristeza, decepção, indignação maior não foi com o deprimente espetáculo proporcionado por um Congresso Nacional formado em sua maioria por “nobres” deputados preconceituosos, corruptos, homofóbicos. Espetáculo transmitido ao vivo por quase todas emissora de televisão, que 99,9% de seus comentaristas não conseguiam disfarçar a satisfação de ver o golpe que construíram indo no caminho previsto. Também ver Bolsonaro declarando amor ao coronel torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, o Dr. Tibiriçá, - chefe comandante do Destacamento de Operações Internas (DOI-Codi) de São Paulo no período de 1970 a 1974 - foi de embrulhar o estômago.

cunha_ratocunha_golpeA maior decepção foi mesmo em ver pessoas que se dizem esclarecidas, os coxinhas, e outras ignorantes mesmo - que não aprenderam e não querem aprender –, apoiando e aplaudindo um bando de ladrões, como o poderoso chefão da maior parte da famiglia do congresso, Dom Eduardo Cunha que é réu no Supremo Tribunal Federal. Não há meio termo. Quem ficou contra Dilma é a favor de Cunha!

Por momentos cheguei a pensar que o brasileiro tinha amadurecido, mas me enganei, e muito. Ver coxinhas e outros pobres - principalmente de espírito – apoiando ladrões foi muito triste. Fiquei com a sensação e certeza de que nada adiantou a luta para restabelecimento da democracia que custou a destruição de incontáveis famílias, torturas e mortes. Lastimável!

Mas como disse o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, “não reconheceremos legitimidade em um governo que chegar ao poder por um golpe”. Boulos garantiu que a Frente Povo sem Medo (da qual faz parte do MTST) e a Frente Brasil Popular, aliados com outros movimentos sociais, iniciarão já nos próximos dias uma série de protestos contra o impeachment, que avança no Congresso. “A questão é: se o golpe ocorrer, o país sofrerá com um pacote brutal de devassa nos direitos e programas sociais. Então, é evidente que vai haver resistência popular intransigente pelo Brasil.”

sergiovidigal_golpistaE nós, os “pão com mortadela”, a sub-raça (é assim que me considero após ver a mídia, os coxinhas, os ignorantes e os deputados corruptos (quero destacar o Capixaba Sérgio Vidigal) dizendo que a população brasileira queria o golpe), que fomos excluídos como povo, reagiremos. Desprezaram e desrespeitaram uma população de mais de 54,5 milhões que votamos em Dilma, jogando nossos votos na lata de lixo. Somos bons de luta e a ela vamos.

A luta continua, agora como quiserem. Vamos ao quarto turno das eleições juntos com Dilma e Lula, que na verdade é o alvo!