quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Hucam, “o pacato cidadão” e os três patetas

“Aos que não sabem, Hucam é o Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes, da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, (Vitória/ES) onde deveria formar pessoas de bem. No entanto usa patetas, digo, seguranças, para intimidar os pacientes que não aceitam o desrespeito aos seus direitos e reclamam”
Por: Eliseu 
Ontem, 23, o Hospital das Clínicas de Vitória teve mais um lamentável dia, de seus vários dias lamentáveis, por culpa da incompetência de seus diretores que não se importam em mandar treinar seus funcionários, a exemplo de toda saúde pública brasileira, onde seus gestores se preocupam mais em seus mirabolantes planos para locupletarem-se do dinheiro público, deixando os pacientes a mercê de maus preparados funcionários.
Lamentável, porque como já ficou evidenciado acima, o Hucam é um Hospital Escola, subordinado ao Ministério da Educação e conta com verbas do mesmo e também do SUS, vez por outra a prefeitura de Vitória entra com socorro financeiro para amenizar o rombo que seus diretores e sequazes promovem, e tem em seus quadros, sem dúvida alguma os melhores médicos do Estado, quiçá do Brasil, em sua maioria. Os Doutores (realmente Doutores “com DR”, veem seus trabalhos manchados por incompetência e falta de educação de muitos (existem exceções) dos atendentes que quando informam o fazem errado, maltratam e ao menor sinal de reclamação, se valem de seguranças que são tão mal treinados como eles, para intimidar, ou pelo menos tentar intimidar.
Pois bem, ontem um pacato cidadão, já idoso, com 61 anos no limiar de completar 62, a exemplo de centenas de outros, se dirigiu ao Hucam para sua consulta de rotina. Enquanto sua esposa foi “confirmar” sua consulta para entrar na fila de atendimento, o cidadão que está com o pé esquerdo inchado mais do que o de um elefante, sabe-se lá por que raios inchou e dói, dirigiu-se arrastando ao laboratório para pegar seus exames. Arrastando-se literalmente, ao chegar onde se consultaria, quão feliz ficou ao saber da esposa que seria o primeiro a ser atendido, conforme havia informado a incompetente e irresponsável atendente.
Logo após chega a médica, que evidentemente omitirei o nome, pois trata-se de profissional de mais alta competência e educação. Chega e começa a atender os pacientes, na ordem que lhe foi passada. Até aí tudo bem. Mas o pacato cidadão percebeu que ao contrário de ser o primeiro, estava ficando por último e foi questionar com a enfermeira do setor que fica andando de um lado para o outro fingindo organizar os pacientes. Recebeu “educadamente” a resposta que a Drª … priorizava quem bem entendesse. É um direito e dever do médico priorizar quem ele considera mais grave ou necessitado naquele momento. Mas também é um dever de quem está “organizando”, prestar os devidos esclarecimentos aos pacientes que questionarem. O pacato cidadão se sentiu desrespeitado, desprestigiado e foi conversar com a atendente que havia dado a falsa informação. Neste instante com a característica falta de educação, tato e treinamento, a atendente se alterou fazendo com que o pacato cidadão que só é pacato quando o são com ele, retribuísse na mesma moeda. Naquele momento o demônio, 666 besta bebida, diabo, lúcifer, belzebu, satanás, ardiloso, ou capeta e vários de seus secretários entrassem em cena.
Duas senhoras que se passavam por pacientes mas na verdade não passavam de secretárias do demo se meteram na conversa e receberam também o devido troco do já não tão pacato cidadão, e o bicho apareceu de vez quando decidiram resolver a situação com três patetas, um fantasiado de chefe e outros dois de seguranças, que já chegaram empunhando armas como se policiais fossem e tivessem tratando com bandidos de alta periculosidade e não um cidadão adoentado e desarmado no momento, que longe da santidade que nunca sonhou ser, mas que sempre foi intransigente com a honestidade e no alto de seus 61 sempre lutou pela justiça, inclusive nos “anos de chumbo” nunca teve uma ocorrência sequer em qualquer delegacia deste decadente planeta, foi ameaçado de ser algemado. Nesse momento o já não tão pacato cidadão resolveu usar dos mesmos métodos e avisou ao pateta fantasiado de chefe dos patetas seguranças o que aconteceria caso o algemassem. Claro que não “pagaram” para ver.
Infelizmente, ou felizmente, o pacato ou nem tão pacato assim cidadão é este blogueiro que vos escreve e como é de seu perfil desde sempre os colocou em seu devido lugar, que é um circo. Repito ao que disse aos três patetas fantasiados de segurança a qualquer delegado ou juiz que caso venha a ser inquirido. Ainda ouvi o Pateta Mor, chefe dos patetas, pedir meu endereço que se encontra em meu prontuário médico, o que constitui mais um crime. O de violação do segredo médico. Crime grave com entendimento pacífico de tribunais superiores.
Bom para que diretores ladrões do dinheiro público, donos de empresas de patetas, chefes e os próprios patetas reflitam, caso possam, sobre seus atos poderem gerar uma tragédia de dimensões imensuráveis ao não saberem lidar com o público, principalmente onde o setor é público. Ou seja,de todos!