terça-feira, 30 de novembro de 2010

Brasil anuncia plano de cooperação com a Bolívia para combater o tráfico de drogas

Por: Eliseu


O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, anunciou nesta tarde um plano de cooperação entre Brasil e Bolívia para combater o tráfico de drogas e armas. No projeto, estão previstas operações conjuntas e um plano de segurança das fronteiras.

— Acho que chegou a hora da América do Sul ter um plano integrado, que permita a região combater um problema que vitimiza todos os países e encontrar uma solução conjunta. Todos os técnicos apontam que é impossível o patrulhamento físico dessa fronteira. A melhor maneira de combater isso é com integração e um sistema lógico de cooperação — afirmou o ministro.

Após reunião com o ministro de Governo da Bolívia, Sacha Llorenty, Barreto também anunciou a retomada das reuniões da Comissão Mista de Enfrentamento ao Narcotráfico. Segundo Barreto, o Brasil, a Bolívia e o Peru vão fazer operações conjuntas.

Durante a reunião, o governo da Bolívia mostrou interesse em conhecer o veículo aéreo não tripulado (Vant) e os laboratórios de lavagem de dinheiro.

— Em dezembro vamos começar uma série de reuniões. A Bolívia deseja implementar o laboratório de lavagem de dinheiro. Uma equipe técnica do Brasil vai a La Paz em dezembro para apresentar o projeto do laboratório e representantes bolivianos vêm conhecer o Vant no Brasil — disse o ministro boliviano.

Para Llorenty, o momento é propício para fortalecer os laços entre os países na área de segurança pública.

— Estamos fazendo trabalho com outros países para melhorar essas capacidades cooperativas. Nosso objetivo é fortalecer a Unasul [União de Nações Sul-Americanas] e combater conjuntamente o narcotráfico.
AGÊNCIA BRASILFonte: Diario catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.