segunda-feira, 5 de março de 2012

Gilmar Mendes do STF é a favor do “Ficha Suja”

Publicação do Jornal do Brasil deixa claro que a opinião do Ministro da mais alta corte do País, o STF, é pela continuidade da roubalheira na política.

O Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, crítico do projeto Ficha Limpa, comparou a nova lei a uma roleta russa. Polêmico, ele ainda deu a entender que o tribunal não deve "se curvar à opinião pública". A entrevista foi concedida ao jornal "Estado de S. Paulo".

"Me parece que a Lei da Ficha Limpa vai causar vítimas em todos os partidos com essa amplitude. É uma roleta russa com todas as balas no revólver, feita pelos partidos", atacou o ministro. "O que me preocupa são os fundamentos de que o tribunal deva se curvar à opinião pública. Isso me parece preocupante, o que decreta o falecimento dos argumentos constitucionais".

Para Gilmar Mendes, o crescimento do Ficha Limpa num ano eleitoral fez com que os políticos não tentassem desgastar suas imagens se colocando contra as contradições do projeto. 

"Os membros do Congresso não queriam ficar contra a opinião pública. É uma lei mal feita. quem passou por perto dela tem que sentir vergonha. Quem trabalhou na sua elaboração tem que sentir vergonha", criticou. 

Os ataques do ministro ao Ficha Limpa acontecem na mesma semana em que ele criticou a primeira instância da Justiça. De acordo com Gilmar Mendes, ela "não funciona no Brasil". Para defender sua tese, Gilmar Mendes apontou os problemas estruturais da primeira instância, como a falta de defensores públicos, juízes e promotores. 

Gilmar Mendes foi nomeado para o Supremo Tribunal Federal pelo tucano então presidente Fernando Henrique Cardoso, defensor do tráfico de drogas.

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, o professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (Largo São Francisco) Dalmo de Abreu Dallari, declarou:

“Se essa indicação (de Gilmar Mendes) vier a ser aprovada pelo Senado, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional. (…) o nome indicado está longe de preencher os requisitos necessários para que alguém seja membro da mais alta corte do país.”

DALLARI, Dalmo de Abreu

Gilmar Mendes tentou processar criminalmente o jurista Dallari por esse artigo, mas a Justiça recusou a instauração da ação penal que o já ministro Mendes pretendia mover contra o advogado Dalmo Dallari: "A crítica, como expressão de opinião, é a servidão que há de suportar (…) quem se encontrar catalogado no rol das figuras importantes", escreveu o juiz do caso Silvio Rocha.

Para quem defende abertamente banqueiros ladrões como Daniel Dantas, do Opportunity, não é de se espantar a opinião do Ministro.

Por: Eliseu

4 comentários:

  1. Amigo,Eliseu.
    Isto é Brasil, Ó pátria Amada, que pena tu é tão linda e abençoada, mas quem governa nossa!nossa!nossa!assim você me mata.
    Sem comentários.
    Amigo passando pra dar meu pitaco,e te desejar uma semana brilhante,e também dizer que não esqueci do teu blog.
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga Célia,
      Infelizmente com homens como esse na mais alta Corte do País, realmente a situação não é nada boa.
      Bjs,
      Eliseu.

      Excluir
  2. Olá,
    Amigo Eliseu, venho te dizer que tem um selinho especial para ti,pois estou comemorando os meus 500 seguidores, e tem selinho especial para os meus primeiros seguidores. Olhe o selinho pode diminuir o tamanho ok?.
    Amigo,as duras penas cheguei a este número, e espero que todos os meus seguidores venha a ter a mesma alegria,e no que depender de mim todos serão felizes, rir satisfeitos de verem seus cantinhos virtuais,indo de vento em popa.Espero que aceite, é de coração.
    Fique em paz.
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Célia,
      Claro que aceito e fico muito orgulhoso de se lembrar de mim. Estou indo agora para o Avivar
      Bjs,
      Eliseu.

      Excluir

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.